Abatedouro clandestino é interditado na Zona da Mata, em Minas

A Polícia Federal de Minas Gerais localizou um abatedouro clandestino em uma área rural localizada em Guarani, na Zona da Mata. No local foram encontradas carcaças de animais equinos. A operação foi realizada nessa terça-feira (18), em cumprimento de um mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça. Segundo informações da polícia, o espaço da fazenda estava sendo usado para abater ilegalmente porcos, bois e cavalos, que posteriormente seriam vendidos para açougues da região.

O primeiro indício de que tais práticas estariam acontecendo no local foi o aumento significativo na quantidade de furtos de animais, seguidos de denúncias de abatedouros ilegais nas imediações. As investigações estão sendo realizadas pelo Departamento Estadual de Investigação de Crimes Contra o Patrimônio (Depatri) em conjunto com a Delegacia Especializada em Investigação e Repressão a Crimes Rurais. Durante a ação de terça-feira (18), estiveram presentes além de civis, militares, agentes do Meio Ambiente e do Instituto de Agropecuária (IMA).

O delegado José Luiz Quintão, responsável pelo caso disse que “As carcaças apresentavam vários estágios de decomposição, evidenciando que a prática deste crime é recorrente na fazenda”.

Foi constatado pela polícia ainda que as condições onde as carnes eram conservadas eram precárias em termos de higiene. O local foi interditado. O proprietário não estava no local e ainda não foi encontrado.

Há indícios de que a carne de animais como cavalo, asno, pônei, ou burro estavam sendo vendidos como carne bovina. A polícia investiga se os donos dos estabelecimentos para onde a carne era repassada possuíam conhecimento da procedência da carne ou se também eram vítimas, assim como o consumidor final. “Os suspeitos poderão responder por crimes de maus tratos de animais, falta de licenciamento ambiental, furto e roubo de animais e poluição ambiental”, finalizou Quintão.

Comentários