13.5 C
Belo Horizonte
terça-feira, 28 junho 2022
Portal Mais MinasAgenda CulturalGerdau leva Orquestra Ouro Preto - Tributo a Chaplin a Conselheiro Lafaiete

Gerdau leva Orquestra Ouro Preto – Tributo a Chaplin a Conselheiro Lafaiete

“Um filme com uma lágrima e, talvez, um sorriso”. É assim que Charles Chaplin define “O Garoto”, o primeiro longa-metragem daquele que se tornaria o rei do cinema mudo. Mais atual do que nunca, a obra completou 100 anos e ganha homenagem da Orquestra Ouro Preto, com patrocínio da Gerdau, que fará a exibição do filme e a execução ao vivo da trilha sonora no dia 28 de maio, às 18h30, na Praça da Matriz, no centro de Conselheiro Lafaiete, com entrada franca. 

Inspirado na própria infância de seu criador, o filme comove o público há gerações, justamente por abordar questões universais e ainda não superadas, como a desigualdade social, o abandono das crianças menos favorecidas e os tabus enfrentados pelas mulheres quando se tornam mães solteiras. Chaplin não apenas atuou e dirigiu “O Garoto” como também compôs parte da trilha sonora que ganhará as cores e nuances da Orquestra Ouro Preto sob a regência do maestro Rodrigo Toffolo. 

“O Chaplin era um exímio músico, um artista completo, com uma sensibilidade ímpar, que, sabendo das ferramentas que podia usar na época, trabalhava a música de forma muito rica em suas criações.  Já que não tinha diálogos no cinema mudo, toda a ambientação era construída pela música e, como o filme passava pelas mãos e pela cabeça dele, Chaplin fazia com que essa imersão fosse completa, já que escrevia pensando na música e compunha pensando no filme”, contextualiza Toffolo. 

Esta não será a primeira imersão da formação mineira no universo cinematográfico, tendo já apresentado o concerto “Música para Cinema”, que foi gravado em CD e DVD no Largo do Rosário em Ouro Preto, “Música para Cinema – Cine Hollywood” e uma primeira homenagem a Charles Chaplin com o filme “O Circo”. 

Fã declarado de Carlitos e toda a sua filmografia, Toffolo ressalta essa simbiose entre música e imagem. “O que seria do cinema sem a música? Não teria a menor graça!”, reconhece ele. “Considero que a música é muito mais que um conjunto de sons. Ela carrega consigo símbolos que encontramos na linguagem, traduzindo as mais complexas relações sociais como sotaques, gestos e meios de se comunicar. E é em sua função no universo cinematográfico que essas relações ficam ainda mais claras para todos nós. Podemos exprimir os sentimentos mais íntimos até o maior rompante emocional; de um olhar perdido a batalhas em planetas distantes”, explica. 

“Como uma das principais incentivadoras da cultura em Minas Gerais, ficamos muito satisfeitos em presentear Lafaiete com a trilha do Carlitos, representação máxima do cinema e atual até os dias de hoje, com a beleza do concerto ao vivo da Orquestra Ouro Preto”,  destaca Wendel Gomes, diretor Executivo da Gerdau.

Em “O Garoto”, Carlitos conta a história de um vagabundo que, num dia comum, se depara com um bebê abandonado pela mãe solteira. Ele cuida e ama o pequeno órfão até que, cinco anos depois, a mãe aparece para resgatar a criança. Uma obra comovente, que promete trazer um clima de emoção e nostalgia para o público de Divinópolis, relembrando os tempos áureos do cinema mudo.

A ousadia fica por conta da execução ao vivo, que demanda uma sincronia perfeita entre música e imagem, desafiando ainda mais os músicos da Orquestra e comprovando o compromisso com a excelência e a versatilidade. 

Serviço:

  • Orquestra Ouro Preto apresenta “O Garoto”, de Charles Chaplin
  • Data: 28 de maio, sábado
  • Horário: 18h30
  • Local: Praça da Matriz, Centro – Conselheiro Lafaiete
  • Ingressos: Entrada Franca
  • Informações:   www.orquestraouropreto.com.br

Fonte: Rede Comunicação

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: