Análise: como tem sido o desempenho dos reforços do Cruzeiro na temporada
João Lucas tem sofrido com as vaias no Cruzeiro - Crédito da foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Vivendo uma temporada de reconstrução após cair para a segunda divisão nacional na segunda vez em sua história, o Cruzeiro passou por grande reformulação em seu elenco. Muitos jogadores saíram, chegaram e foram promovidos das categorias de base do clube. E, devido a situação financeira precária do clube, era sabido que o time não poderia errar em seus reforços, já que cada contratação errada significaria a perda de um dinheiro valioso para a Raposa.

Mas, infelizmente, não é bem isso que tem ocorrido e os reforços celestes tem se mostrado equivocados, quase que em sua totalidade. Inclusive, o diretor de futebol Ocimar Bolicenho, responsável por boa parte das contratações, perdeu o emprego após ficar somente dois meses no cargo.

Tendo essas situações em vista, e aproveitando a parada na temporada por causa da pandemia do novo coronavírus, resolvemos fazer uma análise do desempenho dos atletas contratados pelo Cruzeiro até aqui. Lembrando que jogadores que retornaram de empréstimo ou que subiram da base não serão analisados, visto que já pertenciam ao clube.

Marllon e Ramon

Contratados na última semana, os zagueiros Marllon e Ramon fizeram somente um jogo pelo Cruzeiro, no qual não comprometeram, apesar de se mostrarem estabanados em alguns lances. Por isso, ainda é impossível fazer uma análise de desempenho dos dois.

João Lucas

O lateral esquerdo João Lucas chegou a pedido de Adilson Batista, com quem trabalhou no Ceará, no final de 2019. Apesar de chegar para ser dono da posição e ter a experiência como diferencial em relação ao restante do elenco, o jogador mostrou inúmeras deficiências e não fez um jogo bom sequer, até aqui. Tal desempenho ruim fez com que o jogador se tornasse o principal alvo de críticas da torcida celeste, que o vaiou em diversas oportunidades.

A ala esquerda tem sido um pesadelo para o Cruzeiro neste início de ano, visto que o outro jogador da posição, o jovem Rafael Santos, representa um páreo duro para João Lucas, no qual é difícil saber quem vem jogando pior. Sendo assim, a Raposa tem suas atenções voltadas para o mercado, o que é ruim, visto que a contratação de João se provou um desperdício de dinheiro.

Jean

Outro que chegou recentemente ao clube e que ainda não tem partidas suficientes para uma análise justa.

Filipe Machado

Envolvido na negociação que levou o lateral Orejuela para o Grêmio, Filipe Machado chegou prometendo um pouco mais de experiência para um time muito jovem. Mas o que se viu não foi nada mais que podia se esperar de um jogador que não era titular absoluto na Série C, onde jogou emprestado no ano passado. Fraco técnica e fisicamente, e muito preciosista, o jogador acumula jogos ruins e sua manutenção no time titular era injusta, quando seu desempenho foi pior do que o de todos os jovens que atuaram na posição. Seus chutes de fora da área inexplicáveis e sem direção irritaram o torcedor do Cruzeiro em diversas ocasiões.

Filipe Machado Cruzeiro
Filipe Machado irrita o torcedor por seu preciosismo; jogador parece se achar melhor do que realmente é – Crédito da foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Everton Felipe

Para contratar Everton Felipe, foi necessário um grande esforço do Cruzeiro. Mas, até agora, tudo pareceu ser em vão. O ponta ainda não mostrou nada e é, sem dúvidas, um dos jogadores mais improdutivos do time. Suas características parecem não encaixar com a posição que ele ocupa em campo e até agora ele só mostrou qualidade num fundamento, o drible. Só que sua incapacidade em romper linhas e carregar a bola acaba tornando essa característica inútil. Talvez sendo trocado de lado e passando a atuar na direita, possa render mais.

Jhonata Robert

Outro vindo na negociação de Orejuela com o Grêmio, o meia atacante é uma contratação inexplicável. Jhonata Robert não acrescenta em experiência, por ser tão jovem quanto os jogadores da base celeste e por ter disputado, até vir para o Cruzeiro, somente um jogo oficial na carreira, num time do Grêmio totalmente alternativo. Não acrescenta em potencial, por ser menos promissor que os atletas da base celeste, como Caio Rosa, que com 18 anos já havia sido convocado para a Seleção Brasileira sub-20, coisa que Jhonata nunca foi. Não acrescentar em perspectiva de futuro ou comprometimento com o clube, visto que não há opção de compra em seu contrato de empréstimo, que se encerra no final de 2020. O jogador não era nem um dos principais destaques da base gremista. A posição e características do jogador também não são carências do clube, visto sua capacidade.

O jogador de 20 anos parece ter chegado somente para tirar espaço de jovens da base celeste e disputa com Roberson o prêmio de contratação mais sem sentido do ano, até aqui. Apesar de eventualmente fazer uma ou outra boa jogada, o desempenho do jovem é fraco. Pela idade ele tem a evoluir, mas não faz sentido dar rodagem a um jogador de outro time, sendo que há atletas mais talentosos que ele, pertencentes ao Cruzeiro, que também precisam de oportunidades.

Análise: como tem sido o desempenho dos reforços do Cruzeiro na temporada
A contratação de Jhonata Robert não fez sentido até agora – Crédito da foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Iván Angulo

Contratado recentemente junto ao Palmeiras, por empréstimo, o colombiano Angulo ainda não atuou, mas sua situação lembra muito a de Jhonata Robert. Mas apesar disso, o atacante mostra mais potencial que o novo colega de clube e também possui características que faltam no time.

Roberson

Mais uma contratação inexplicável. O atacante de 30 anos tem número de gols equivalentes aos do zagueiro Léo, na carreira. Além disso, afirmou em sua apresentação ser “um atacante com características de meia, e um meia com características de atacante”. Apesar de já ser um “trintão”, o atacante jamais se destacou em algum clube e no ano passado era reserva do Red Bull Bragantino, campeão da Série B. Era um desastre anunciado, somente não percebido pelos responsáveis por sua compra. Em campo, Roberson se mostrou fraquíssimo e sem condição alguma de permanecer no Cruzeiro, coisa que deve acontecer até o fim de seu contrato. Mais dinheiro jogado fora.

Marcelo Moreno

A maior contratação do Cruzeiro na temporada. Campeão brasileiro pelo clube, Marcelo Moreno aceitou uma grande redução salarial para deixar o futebol chinês e ajudar na reconstrução celeste. Apesar de ainda não ter balançado as redes, o camisa 9 já mostrou ter um algo a mais. O péssimo trabalho que vinha sendo feito por Adilson Batista e a falta de qualidade no resto do time vinha prejudicando Moreno, que, na maior parte das partidas, era visto fora da área, buscando jogo e armando, em situações totalmente alheias a suas características, que são de um centroavante nato.

Análise: como tem sido o desempenho dos reforços do Cruzeiro na temporada
A contratação de Marcelo Moreno foi a única que se mostrou acertada até agora, na temporada – Crédito da foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Essa análise mostra que o Cruzeiro errou mais do que podia em suas contratações até aqui. Para se ter uma ideia, dentre os nove reforços do Cruzeiro que jogaram, nenhum fez gol até agora. O desperdício de dinheiro em negociações erradas fará falta ao clube e, a partir daqui, com o novo diretor Ricardo Drubscky, essa margem de erro tem que ficar próxima do zero.

Veja também: Conheça Iván Angulo, o novo reforço para o setor ofensivo do Cruzeiro

Comentários do Facebook

Receba notícias do Mais Minas através do nosso grupo oficial do WhatsApp. Não se preocupe, somente nosso número conseguirá fazer publicações, evitando assim conteúdos impróprios e inadequado. Participe: ENTRAR.

Faça parte também das nossas redes sociaisFacebook e Instagram. Siga o Mais Minas no Google Notícias clicando aqui.