BolsonaroCrimesGoverno FederalJair BolsonaroPolítica

Bolsonaro pode responder por nepotismo caso indique filho como embaixador

O presidente afirmou que poderia indicar o filho para o cargo de embaixador e recebeu críticas

O Presidente Jair Bolsonaro (PSL) poderá ser indiciado por nepotismo caso indique o filho, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL), como embaixador do Brasil nos Estados Unidos. O presidente afirmou que poderia indicar o filho para o cargo de embaixador e recebeu muitas críticas. As conversas sobre o assunto estão em andamento dentro do Governo Federal.

Mesmo com risco de ter que responder por nepotismo, Jair Bolsonaro voltou a afirmar, em uma live, que a decisão de indicar o filho Eduardo Bolsonaro foi pensada e que o deputado é capacitado para ocupar o cargo. “É uma coisa que está no meu radar, sim, existe essa possibilidade. Ele (Eduardo) é amigo dos filhos do Trump, fala inglês, fala espanhol”, disse Bolsonaro.

Eduardo Bolsonaro afirmou que caso o pai o indique como embaixador, ele poderia renunciar ao cargo de deputado. Ainda de acordo com ele: “A missão que o presidente me der, eu vou cumprir da melhor maneira”. Eduardo, em entrevista o G1, afirmou que acredita que, por ser filho do presidente, será olhado com bons olhos pelo governo americano.

“Acredito que a nomeação ou indicação de uma pessoa tão próxima ao presidente para assumir esse cargo em outro país, seria visto com bons olhos pelo lado americano e daria a confiabilidade necessária para que nós venhamos a desenvolver um trabalho resgatando o crédito do país no exterior”, afirmou o deputado.

Nepotismo dos Bolsonaro

De acordo com o Ministro do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio Mello, caso Bolsonaro indique o filho ao cargo de embaixador, poderá ser indiciado por nepotismo. Em entrevista ao Estado de S. Paulo, o ministro disse achar a ideia péssima e que o ato seria um tiro no pé.

O ministro ainda afirmou que Bolsonaro deve pensar nos eleitores. Dessa forma, Marco Aurélio mostra que os brasileiros poderiam ficar desfavoráveis a decisão do presidente. “O exemplo vem de cima. Ele chegou para nos governar e governar bem, não para proporcionar o Estado aos familiares”, afirmou o ministro.

Conversas em andamento

Na manhã de hoje (12), Eduardo Bolsonaro se encontrou com o Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, no Palácio do Itamaraty. De acordo com o deputado, a reunião já ocorreria, mas aproveitou para conversarem sobre o assunto da indicação.

De acordo com o deputado do PSL, o ministro Ernesto Araújo mostrou apoio a indicação de Eduardo ao comando da embaixada. “Agora falta só conversar com o presidente Jair Bolsonaro e afirmar se essa é realmente a vontade dele”, afirmou o deputado.

Eduardo e o pai, Jair Bolsonaro, devem se reunir até domingo para discutirem sobre a indicação.

Repercussão

A possível nomeação de Eduardo Bolsonaro como embaixador causou muita repercussão negativa nas redes sociais. Tanto apoiadores, quanto opositores, condenaram a possível indicação.

 

Fechar