Região Centro-Sul de Minas flexibilizará comércio em véspera do pico da pandemia

A macrorregião de Saúde Centro-Sul recebeu o aval do Comitê Extraordinário Covid-19, do Governo Estadual, para avançar à onda branca do plano Minas Consciente, que permite a reabertura das atividades de estabelecimentos não essenciais, como autoescolas, lojas de artigos esportivos e floriculturas.

A decisão do Comitê foi tomada, nesta quarta-feira (8), após o grupo técnico constatar que a região apresentou melhora na taxa de ocupação de leitos e contaminação da doença. Portanto, a partir do próximo sábado (11), o avanço de onda passa a valer, sendo publicado no Diário Oficial.

A diminuição no número de contaminações e de ocupação de leitos no Centro-Sul, segundo o governador Romeu Zema (NOVO) se deve a grande taxa de adesão da região ao plano Minas Consciente.

“A região Centro-Sul possui a maior taxa de adesão do estado, com 37 dos 51 municípios inscritos no plano. Ela tem tido um número de casos bem inferior à curva de Minas, com capacidade de reserva em seu sistema de Saúde. Por isso, está avançando uma onda neste momento. O que eu gostaria é que nas próximas semanas, após o pico da pandemia, outras regiões venham a trilhar o mesmo caminho”, afirmou.

Com o avanço, a Centro-Sul se une às macrorregiões de Saúde Leste do Sul, Norte e Sul, que continuam apresentando taxa de ocupação de leitos controlada até o momento e seguirão os protocolos da onda branca por mais uma semana.

As outras dez regiões do estado serão mantidas na onda verde, em que é permitida a abertura somente dos serviços essenciais, como padarias, supermercados e farmácias.

Pico de contaminações

Apesar do Governo de Minas Gerais estar flexibilizando mais uma macrorregião do estado, o momento mais crítico da pandemia, ou seja, o pico, está previsto para a próxima segunda-feira (13). Além disso, durante esta semana, o o número de óbitos cresceu significativamente.

Mesmo flexibilizando o comércio nos dias que antecedem o pico, o governador Zema pediu para que a população não entre em pânico e que tome todas as medidas necessárias para garantir a própria proteção e a dos demais.

“É o momento de maior alerta, em que todos precisam redobrar os cuidados, porque os leitos hospitalares, tanto clínicos quanto de UTI, estarão mais ocupados. É a hora que o sistema de Saúde será mais demandado. Todos precisam fazer a sua parte. Recomendo o isolamento para quem pode. Para quem precisa sair, o distanciamento, o uso da máscara e também as medidas de higiene”, disse.

Coronavírus em Minas Gerais

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) divulgou, na manhã desta quinta-feira (9), mais um Informe Epidemiológico detalhando a situação do COVID-19 no estado. Foram registrados 91 óbitos tendo o coronavírus como causa e 2.829 casos confirmados da doença, de acordo com o boletim.

Até o momento foram 66.864 casos confirmados. Estão em acompanhamento 22.302 casos e são 43.117 casos recuperados. Até o momento, foram confirmados 1.445 óbitos.

Comentários