Com time reserva, Atlético perde em casa para o Bahia

Por

A manhã de sábado (24) não foi nada feliz para o torcedor do Atlético, que viu seu time perder no Independência para o Bahia, com gol do atacante Gilberto ainda no início do 1º tempo. Após a derrota, o técnico Rodrigo Santana assumiu a responsabilidade pela escalação do time reserva, dizendo que foi um “risco calculado”. Com a derrota de hoje, o Galo pode cair três posições na tabela, terminando a rodada em 7º, atrás de Santos, Flamengo, Palmeiras, São Paulo, Corinthians e Internacional. Já o time do Bahia subiu duas posições, chegando à 8ª colocação no Brasileirão.

Apesar do gol, o destaque da partida não foi o atacante Gilberto, mas sim o goleiro da equipe baiana, Douglas Friedrich, que fechou a meta com pelo menos quatro grandes defesas diante do bom poder ofensivo da equipe atleticana, que iniciou a partida com os atacantes Alerrando, Geuvânio, o meia ofensivo Otero, além do ponta, e xodó da torcida, Luan.

O jogo teve características já tradicionais do futebol brasileiro, com o time da casa pressionando o tempo todo, e o Bahia jogando “fechado” esperando uma oportunidade de contra-ataque, ou contando com o erro do adversário, o que ocorreu aos 19 minutos do primeiro tempo, quando, em uma saída de bola errada do Atlético, o lateral Nino Paraíba roubou a bola do lateral Hernandez e cruzou para Gilberto, que marcou chutando de primeira de dentro de pequena área adversária, sem chance para o goleiro Cleiton.

A partir do gol, o Atlético buscou ainda mais o resultado, mas sempre se viu parado na zaga e no grande momento do goleiro da equipe visitante. Aos 35 minutos, o VAR entrou em ação em um lance que os jogadores do Atlético pediam pênalti em uma jogada que o zagueiro Juninho teria usado a mão para desviar uma bola cruzada por Luan. O árbitro consultou o vídeo e prosseguiu com o jogo, não interpretando nenhuma infração do Bahia no lance.

Para tentar reverter o placar, o técnico Rodrigo Santana já mexeu no time durante o intervalo, substituindo Otero, que está em uma fase muito ruim desde a sua volta, pelo atacante Maicon Bolt. O jogo no segundo tempo teve as mesmas característica do primeiro, com o Atlético buscando o jogo o tempo todo, mas não conseguindo vazar o goleiro Douglas, que foi o destaque da partida também no Cartola FC, marcando 16,7 pontos.

Ainda tentando melhorar a postura ofensiva do time, o técnico atleticano substituiu, aos 14 minutos, o atacante Alerrando por Di Santo, atacante argentino que fez sua estreia hoje. Do outro lado, para melhorar o poder de criação, o Bahia substituiu, aos 21 minutos, o atacante Lucca pelo meia-campista Élber, jogador de velocidade que atua como ponta. A partir desse momento, o jogo começou a ficar mais equilibrado, com o Atlético indo menos ao ataque e o Bahia com alguns lances de perigo, às vezes salvos pelo zagueiro Igor Rabello, que se encontra em grande fase. O técnico Róger Machado ainda trocou o atacante Gilberto por Fernandão, aos 26 minutos, e dez minutos depois, com o time baiano mais a vontade ao final da partida, substituiu o volante Ronaldo pela meia ofensivo Guerra.

O técnico Rodrigo Santana ainda tentou uma última cartada, trocando Luan pelo meia Terans, mas nada foi suficiente para que a equipe mineira superasse o Bahia. Assim o Galo teve que amargar a sua primeira derrota no ano no estádio Independência, o que causou irritação da torcida presente no Horto.

O jogo teve 22.401 torcedores presentes, que resultou em uma renda de R$ 471 mil.

Dados do jogo

Local: Estádio Independência – Belo Horizonte
Horário: 11h (de Brasília)

Público: 22.401
Renda: R$ 471.083,00

Escalação do Atlético:

40 – Cleiton
98 – Guga
3 – Leonardo Silva
16 – Igor Rabello
28 – Lucas Hernandez
14 – José Welison
23 – Nathan
27 – Luan (20 – Terans)
80 – Otero (11 – Maicon Bolt)
49 – Geuvânio
44 – Alerrandro (26 – Di Santo)

Ausências:

Patric, Réver, Fábio Santos, Jair, Elias, Cazares, Vinicius, Chará e Ricardo Oliveira (poupados); Victor, Uilson e Gustavo Blanco (lesionados).

Escalação do Bahia:

1 – Douglas Friedrich
2 – Nino Paraíba
28 – Lucas Fonseca
40 – Juninho
25 – Giovanni
26 – Gregore
5 – Flávio
16 – Ronaldo (18 – Guerra)
98 – Artur
9 – Gilberto (20 Fernandão)
11 – Lucca (7 Élber)

Ausências:

Moisés e Ezequiel (suspensos); Iago, Rogério e Ernando (machucados).

Cartões amarelos: Flávio e Artur – Bahia

Arbitragem

Rodolpho Toski Marques (Fifa) apitou o jogo, auxiliado por Bruno Boschilia (Fifa) e Victor Hugo Imazu dos Santos (CBF), todos do Paraná. José Cláudio Rocha Filho (CBF), de São Paulo, foi o responsável pelo VAR.

Próximos jogos

O próximo jogo do Atlético será contra o La Equidad na terça-feira, 27 de agosto, em partida válida pela Copa Sul-americana. No primeiro jogo, o Atlético venceu por 2 a 1, e agora o time só depende um empate para avançar para a próxima fase da competição internacional. Já o Bahia, em ascensão no campeonato nacional, só volta à campo no próximo sábado, 31 de agosto, quando jogará na arena Fonte Nova contra o CSA, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro.

Deixe seu comentário

Tags :

Postado em 24 de agosto de 2019