Crimes

Comentário com tom racista de apresentador da TV Alterosa é criticado

A fala aconteceu ao vivo, durante a apresentação do Alterosa Alerta

O apresentador da TV Alterosa, filiada do SBT em Minas Gerais, Stanley Gusman está sendo fortemente criticado nas redes sociais. Isso começou na tarde de ontem (9), após um comentário com tom racista, durante a apresentação do Alterosa Alerta.

De acordo com o apresentador, ao citar o presidente do IBOPE, Carlos Augusto Saade Montenegro, ele diz à um repórter: “O nome do cara é Montenegro. Se ele fosse do bem, ele ia chamar Montebranco.” Após o comentário o repórter ficou constrangido e respondeu: “Nossa mãe…”

Ao fazer o comentário, Gusman, que também é presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, Adolescente, Jovem e Idoso da Seccional Mineira da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) foi alvo de críticas e revolta por parte de internautas.

Além dos comentários contra a fala do apresentador na internet, o Sindicato dos Jornalistas de Minas emitiu uma nota repudiando a postura do apresentador. A nota diz que considera grave e inaceitável os comentários feitos pelo jornalista, ao vivo, durante o telejornal. Veja um trecho:

“O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais (SJPMG) considera grave e inaceitável a ofensa de conotação racial veiculada nesta terça-feira. Ao invés de fazer o uso da liberdade de expressão para a promoção de temas construtivos e de valorização da igualdade, o apresentador Stanley Gusman reverbera o racismo odioso que envergonha a sociedade brasileira, e que não pode ser, de forma alguma, multiplicado por meio de uma emissora de televisão que, além de tudo, opera a partir de uma concessão pública do estado brasileiro.”

Veja o vídeo:

Após o comentário, Stanley Gusman ainda tentou se explicar. “Não é de cor não gente. É escuro, escuridão. Céu branco, inferno negro. Ih, vocês também são muito, né?”, disse o apresentador.

“Demônio do IBOPE”

Antes de fazer o comentário com teor racista, o apresentador criticou o Presidente do IBOPE, Carlos Augusto Saade Montenegro, o chamando de “demônio”. “Este é o Alterosa Alerta, é Minas Gerais respondendo. Não é aquele homem, aquele demônio do Ibope, não. É respondendo na tela da televisão. O Ibope do demônio”, disse Stanley Gusman.

Denúncia no MPF

Após o comentário do apresentador, a deputada estadual Andreia Jesus publicou em suas redes sociais que entrará com uma denúncia contra Stanley Gusman no Ministério Público Federal. De acordo com a deputada:

“Alguns apresentadores da TV aberta não se sentem constrangidos em fazer comentários racistas ao vivo. Vamos encaminhar um ofício para que o MPF e a Comissão de Igualdade Racial da OAB MG estejam cientes e possam tomar as devidas providências em relação ao caso. Não passarão!”

Reação nas redes sociais

 

Casos de racismo na TV

Em 2017, um apresentador do programa jornalístico Balanço Geral, da Rede Record, foi acusado de racismo por comentário, ao vivo, durante o programa. Na ocasião, o apresentador Marcão fez um comentário racista ao chamar a cantora Ludmilla de “macaca”.

“É uma coisa que não dá para entender. Era pobre e macaca! Pobre! Pobre, mas pobre, mesmo”, disse Marcão durante comentava sobre uma notícia da cantora.

A Rede Record demitiu o apresentador, mas, mesmo assim, foi condenada a pagar R$ 500 mil de indenização. Além do valor, a emissora foi obrigada a exibir programas educativos sobre religiões de matriz africana em sua programação, durante 10 dias.

Atualmente o jornalista é contratado do SBT e apresenta o programa Primeiro Impacto. Este ano, Marcão comentou sobre o assunto novamente. De acordo com ele “Ludmilla entrou com processo e divulgou nas redes sociais sem me procurar, sem entender o que foi dito”.

Deixe seu comentário

Etiquetas
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar