Como prisão de Donald Trump pode refletir no Brasil

0 comment

Ainda não se sabe baseado em quais documentos, mas o ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou que será preso na próxima terça-feira, 21, e convocou seus apoiadores para manifestar apoio ao seu favor. 

Com a nova informação dada pelo próprio republicado através das redes sociais, a tendência é de que os EUA protagonizem a semana. Se de fato o encarceramento do empresário acontecer, políticos brasileiros ficarão de alerta, sobretudo aqueles que apoiaram e continuam apoiando o ex-presidente Jair Bolsonaro. 

Como prisão de Donald Trump pode refletir no Brasil
Donald Trump - Foto: reprodução/Facebook

Isso porque há uma semelhança muito próxima entre ambos os políticos, são conservadores, representam a extrema direita (extremo republicano no caso dos EUA), atacaram abertamente as instituições democráticas, são negacionistas, liberais e não aceitaram o resultado das eleições, quando perderam.

No dia 8 de janeiro deste ano (2023), inspirados nos apoiadores de Trump, brasileiros radicais invadiram o Palácio do Planalto, o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal. Assim como aconteceu em Capitólio, dois anos antes, em 6 de janeiro de 2021, os vândalos e radicais bolsonaristas não aceitaram a derrota de seu escolhido para governar o país. Uma sequência de atos violentos pode ser acompanhada através de vídeos veiculados nas redes sociais, imprensa e mesmo câmera interna dos prédios depredados.

As investigações relacionadas aos atos antidemocráticos que aconteceram no Brasil no final de 2022 e início de 2023 já iniciaram. Muitas falas de Bolsonaro que fomentaram os ataques às instituições democráticas brasileiras podem ser compreendidas como apoio indireto do ex-presidente, sem contar nos financiadores dos atos, que, se comprovado ligações diretas com Bolsonaro, poderá o colocar na mesma situação de Trump, sob o risco de prisão. 

Há indícios de que o Sindicato Rural de Castro (PR), apontado como financiador dos atos golpistas, é ligado à vice-líder de Bolsonaro no Congresso, Aline Sleutjes (Pros-PR).

Com as investigações mais avançadas, Trump é acusado por quatro crimes relacionados à invasão de Capitólio, são eles: acusado de obstrução a procedimentos oficiais; conspiração para fraudar os Estados Unidos; conspiração para fazer alegações falsas; e insurreição.

Mas o que pode realmente colocar o milionário atrás das grades neste momento seria a confirmação do crime de falsificação de registros comerciais que diz respeito a um pagamento de US$ 130 mil feito duas semanas antes da eleição presidencial de 2016 a uma atriz pornô conhecida como Stormy Daniels. Segundo a acusação, o valor foi pago na tentativa de comprar o silêncio da atriz sobre um relacionamento com o ex-presidente americano. 

Se preso, Trump se tornará o primeiro ex-presidente americano condenado pela justiça. 

Mesmo sob o risco de indiciamento, Donald Trump mira a eleição presidencial de 2024. Só não se sabe até que ponto os rumores envolvendo o seu nome podem ser negativos ou positivos. 

Enquanto isso, no Brasil, as investigações envolvendo Bolsonaro caminham lentamente, o que nos traz a reflexão sobre o seu retorno na competição eleitoral de 2026.

Comentários Facebook

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. aceitar LER MAIS