Como reforços da janela de julho podem fazer Cruzeiro cumprir seu objetivo no Brasileirão

por Lucas Barbosa

Após passar três temporadas distante da elite do futebol brasileiro, o Cruzeiro finalmente retornou à Série A do Campeonato Brasileiro. Como não poderia ser diferente, o grande objetivo traçado para a temporada de retorno é a permanência na elite. Ainda é cedo para cravar qualquer coisa, mas o início de Brasileirão dos comandados de Pepa tem sido bastante promissor. Em 12 rodadas, a equipe conquistou 17 pontos e ocupa a 12ª colocação.

Como reforços da janela de julho podem fazer Cruzeiro cumprir seu objetivo no Brasileirão
Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

A vantagem para o Santos, que está apenas uma posição abaixo, é de quatro pontos. Já a vantagem para o Goiás, primeiro time da zona de rebaixamento, é de importantes seis pontos. O Cabuloso parece ter conquistado uma margem considerável que pode vir a fazer diferença lá na frente. O trabalho do português Pepa tem sido bastante positivo. Porém, alguns reforços seriam bem-vindos pelo treinador de 42 anos.

Elenco enxuto pode virar dor de cabeça no segundo turno

Já eliminado da Copa do Brasil e sem disputar nenhuma competição continental, como é o caso de alguns de seus concorrentes, o Cruzeiro já sabe que lhe resta exatamente 26 jogos nos próximos 5 meses – considerando que jogará apenas uma vez em dezembro. O time tende a ter um tempo de recuperação bastante razoável entre as partidas, mas todo cuidado é pouco quando o assunto é o calendário do futebol brasileiro.

Durante o segundo turno, algumas rodadas acontecerão no meio de semana como de praxe – ou seja, o Cruzeiro jogará duas vezes por semana em algumas ocasiões. Esse fator é algo a se levar em conta. Isso pode ser ilustrado com a atual dupla de laterais cruzeirenses. O canhoto Marlon e o destro William vêm atuando em nível altíssimo, possivelmente formando a melhor dupla do torneio até aqui. Porém, caso um deles esteja impossibilitado de atuar, a reposição tende a ser complicada. Nesse sentido, seria importante que Pepa contasse com alternativas à altura em seu elenco.

Meio-campista ofensivo seria uma importante adição

Em relação, mais precisamente, ao time titular, talvez a principal carência seja um meio-campista com características ofensivas. Não estamos falando necessariamente de um típico ‘camisa 10’, afinal esse tipo de jogador talvez nem encaixe no tradicional 4-3-3 de Pepa. Mas, sim, de um meio-campista capaz de impactar nas duas fases do jogo. Ilustrando a falta de ofensividade do meio-campo cruzeirense, é possível observar que o único jogador do setor com gols no BR23 é Ramiro (um tento).

Na fase defensiva, as coisas funcionam muito bem para a equipe mineira. Os 11 gols sofridos nas 12 partidas iniciais do Brasileirão 2023 representam uma média de 0,91 gols sofridos por jogo – a quarta melhor marca do campeonato, empatado com o rival Atlético. Os números ofensivos, porém, não são tão bons nem de perto. Dos 15 gols marcados pela equipe, apenas quatro foram feitos em casa (em sete jogos). Fora de casa, a média é de 2,2 gols por jogo. A equipe parece ter uma desenvoltura maior quando não precisa tomar as rédeas da partida.

Seguir se portando de forma criativa no mercado de transferências é o caminho

É difícil cravar os tipos de jogadores que podem reforçar o Cruzeiro na janela que será abertamente no início do próximo vez – muito menos os nomes. Porém, é possível apostar no ‘modus operandi’ que a equipe de Ronaldo Fenômeno deve adotar: procurar reforços de baixo custo e bom nível. Essa será a quarta janela de transferências de Ronaldo desde que tornou sócio majoritário da SAF do clube. Em todas as outras, o clube não chegou nem próximo de fazer nenhuma ‘loucura’. Dessa vez, muito provavelmente não será diferente.

ARTIGOS RELACIONADOS