Coronavírus: mais de 80% dos comerciantes de BH estão sofrendo altos prejuízos

Destaques

Lateral-direito Patric anuncia sua saída do Atlético para o Sport

O lateral-direito Patric, até então jogador do Atlético, foi anunciado como novo reforço do Sport Recife. O anúncio foi...

Idoso de 83 anos cai em buraco de oito metros e sofre diversas lesões, em Congonhas

Um homem, de 83 anos, caiu em um buraco de aproximadamente oito metros e precisou ser resgatado pelo Corpo...

Prefeitura de Conselheiro Lafaiete negocia ampliação do sistema de saúde para atender pacientes com suspeita e confirmação do coronavírus

A Prefeitura de Conselheiro Lafaiete informou na última quinta-feira (2) que irá ampliar a capacidade para atendimento e assistência...

Fhemig atende 770 ocorrências de acidentes domésticos em 2020 e bombeiros fazem alerta durante a quaretena

De acordo com os dados fornecidos pela Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) revelaram que 8.064 pessoas...

Ministério da Saúde diz que primeira morte por coronavírus no Brasil aconteceu em Minas Gerais, em janeiro

Em coletiva realizada na quinta-feira (2), o Ministério da Saúde afirmou que a primeira morte por coronavírus (COVID-19) no...

Devido à pandemia do Coronavírus, empresários dos setores de comércio e serviços da capital mineira avaliam que os próximos meses serão de queda nas vendas. Levantamento da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) com 413 empresários, realizado de 19 a 20/03, apontou que 99% dos entrevistados serão impactados. De acordo com 63,4%, o prejuízo nas vendas para os próximos meses será muito alto e para 16,9%, o impacto será alto. Os que consideram que o prejuízo nas vendas será baixo totaliza 8,0% dos comerciantes. Em seguida aparecem: prejuízo moderado (6,5%); baixo (4,4%); não sabe avaliar (0,5%) e 0,2% acredita que não terá prejuízo. “O percentual médio de prejuízo nas vendas pode chegar a 65% segundo o levantamento”, disse o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva.

Os empresários entrevistados relataram que em média vendem em dias normais um montante de R$ 6.950,62. Em consequência da pandemia do Coronavírus, eles relataram que estão perdendo um montante de R$ 4.585,59 em vendas/dia.

Por ramo de atividade, o setor de bares e/ou restaurantes relatou o maior percentual médio de perda nas vendas: 81,6%. Em seguida aparecem: vestuário e/ou calçados (76,5%); papelaria e livrarias (63,8%); eletrodomésticos e móveis (60,9%); produtos alimentícios e supermercados (55,3%) e material de construção, elétrico, tinta e vidraçaria (54,2%).

Queda na receita – Segundo estimativa da CDL/BH o faturamento dos setores de comércio e serviços para o mês de março chegaria a R$ 4,6 bilhões. Com o Covid-19, a entidade estima uma queda na receita de R$ 2,09 bilhões, ou seja, um faturamento para o mês de março de R$ 2,51 bilhões dado ao novo cenário. “A queda não será maior, pois tivemos duas semanas de vendas normais no mês de março. Além disso, os supermercados e drogarias não apresentaram uma grande perda”, disse o presidente da CDL/BH. “Para reduzir os efeitos econômicos da pandemia, estamos trabalhando junto às esferas governamentais, solicitando a concessão de prazos maiores para pagamento de tributos”, acrescentou.

Preocupações – As principais preocupações relatadas pelos empresários são: queda no volume de vendas (79,4% dos entrevistados); redução no faturamento da empresa (68,8%); redução do fluxo de clientes (67,3%); falta de funcionário (24,7%); aumento no preço dos fornecedores (22,8%); redução do insumo necessário para a atividade (11,6%); redução do estoque (10,2%) e perda de mercadoria (7,3%).

Para prevenir a propagação do Coronavírus, os empresários estão adotando as seguintes medidas: disponibilização de álcool gel (77,2%); home office (26,2%); redução da jornada de trabalho (22,5%); restringir o número simultâneo de clientes no estabelecimento (22,0%); flexibilidade da jornada de trabalho (16,0%) e férias coletivas (10,2%).

Cenário – Na opinião do presidente da CDL/BH, a tendência de agora em diante, e pelos próximos seis meses, é de uma retração em todos os segmentos; exceto saúde. “Algumas medidas podem ser tomadas pelos empresários. Precisamos cuidar das pessoas e das empresas e nos prepararmos para o segundo semestre, quando tudo indica que a pandemia do Coronavírus poderá estar controlada”, disse. “Os empresários também precisam desenhar um plano de ação para o pós-crise”, completou.

Para este momento, as principais dicas da CDL/BH para os empresários são: projetar receitas e despesas para os próximos meses; reduzir custos; antecipar férias dos funcionários; abrir canais de vendas online; manter contato com o cliente; buscar capacitação; fazer comunicação digital com uma força tarefa com os colaboradores; conquistar e manter a confiança do cliente; aproximar dos colaboradores pois eles podem ter ideias inovadoras; inovar rapidamente em torno de novas necessidades e hábitos de consumo; negociar com os fornecedores.

Recentes

Lateral-direito Patric anuncia sua saída do Atlético para o Sport

O lateral-direito Patric, até então jogador do Atlético, foi anunciado como novo reforço do Sport Recife. O anúncio foi...

Resultado da Lotomania 2062: veja os números de sexta-feira, 03/04

Com um prêmio estimado em R$ 1,5 milhão, o sorteio da Lotomania 2062 acontece na noite desta sexta-feira, 03 de abril de 2020, a...

Resultado da Lotofácil 1949 de sexta-feira (03/04)

Com um prêmio de R$ 1,5 milhão, o concurso 1949 da Lotofácil é sorteado nesta sexta-feira, 03 de abril de 2020, às 20h, em...

Veja o resultado da Quina 5237 de sexta-feira, 03/04

Com um prêmio de R$ 1,6 milhão, o sorteio do concurso 5237 da Quina acontece nesta sexta-feira, 03 de abril de 2020, às 20h,...

Conheça Cecilia Krull, a intérprete do tema de abertura de ‘La Casa de Papel’

"Se eu ficar com você, se eu estiver escolhendo errado, eu não me importo… Se eu estiver perdendo agora, estarei ganhando mais tarde, isso...
- Advertisement -

Leia mais