18.4 C
Belo Horizonte
terça-feira, 31 janeiro 2023

Com final de ano chuvoso e Covid ressurgindo, é bom redobrar os cuidados

Diante de tal período, os cuidados devem ser redobrados

O ano de 2022 está quase no seu fim, faltando menos de duas semanas para a tão esperada virada de ano, no dia 31 de dezembro. Muitas pessoas já decidiram o que vão fazer, uns viajar, alguns ficar em casa, alguns curtir uma boa festa e outros irem a um bom sítio para descansar. Mas é bom lembrar que diante de tal período, os cuidados devem ser redobrados, já que o tempo chuvoso é marca dessa época, inclusive com os aumentos recentes da pluviosidade. Além disso, com o aumento dos casos de Covid-19, a prevenção também é um aspecto que não se pode deixar de lado.

O INMET (Instituto Nacional de Meteorologia) já alertou para riscos de tempo chuvoso por mais de cinco vezes nesses últimos dois meses, fato que é corriqueiro nos meses de novembro, dezembro e janeiro. Por isso, a precaução das pessoas em diversas situações é importante, principalmente com as festas de fim de ano. Muitas pessoas pegam estradas com o tempo em condições chuvosas após ingerir bebidas alcoólicas. Momentos que podem trazer situações graves e até mesmo de mortes. Curtir com responsabilidade é um favor para todos os cidadãos e dirigir sob efeito de bebida é crime. 

Outro aspecto importante salientar está no que diz respeito às pessoas que vão para cachoeiras, lugares íngremes e centros comumente alagados. Com um volume alto de chuvas, a possibilidade de existir trombas d’ água, deslizamentos e novas enchentes é grande. No início do ano de 2022, foi marcado um uma intensidade muito grande de chuvas, o que trouxe inúmeros deslizamentos, fechamento de rodovias, grandes enchentes e elevações de córregos. O planejamento de fim do ano talvez vá além de apenas festas e curtição, leva em conta também a precaução.

Um dos fatos mais tristes que ocorreu no início de 2022 foi a devassante enchente na cidade de Itabirito, em Minas Gerais, que destruiu boa parte do centro comercial pela elevação do rio. Isso trouxe muitas perdas materiais aos comerciantes e prejuízos financeiros, além da necessidade de reconstrução da área pública. A elevação do principal rio que corta a cidade parece ser um problema que atinge Itabirito em muitos momentos. Recentemente houve um novo momento de alagamento e que trouxe novos prejuízos à cidade, não foi tão grave como a situação anterior, mas serviu de alerta.

Casos de Covid aumentam

Os números do Covid-19 têm aumentado nos últimos meses. As cidades de Ouro Preto e Belo Horizonte são exemplos disso. Novas medidas de prevenção foram instaladas na sociedade, como o uso de máscaras em aeroportos e nos locais fechados. As universidades também já estão colocando em voga a utilização de máscaras, como por exemplo, a Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). A China ainda vive uma situação não muito fácil de se lidar e os casos de Covid ainda permeiam bastante por lá. A política de “Covid Zero” ainda está em aplicação com os isolamentos para que não haja transmissões.

A pandemia que durou dois anos já passou, mas o coronavírus ficou. Por isso, toda forma de prevenção é aceitável, já que os números de aumento não mentem. Para quem se lembra, um forte momento em que o Covid explodiu no Brasil após as festas de fim de ano. Agora, já vacinados, a situação é um pouco diferente. Porém a prevenção é bem vinda, de modo que não deixem possibilidades dos casos crescerem exponencialmente.

Muitas aglomerações vão começar com as festas e os reencontros e uma das formas de se prevenir é fazer o teste de Covid um dia antes, ou durante a semana e também após as festividades. Quem ainda não se vacinou, basta ir até os postos de saúde mais próximos de suas casas. A higienização dos locais, dos alimentos e a utilização de álcool gel também são maneiras de se prevenir nesses ambientes festivos.

* Esse texto é um artigo de opinião do colunista e pode não representar a posição do portal Mais Minas sobre o assunto.

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: