19.8 C
Belo Horizonte
sexta-feira, 12 agosto 2022

Como jogar em casinos legais portugueses online

O mercado de casinos legais em Portugal...

Morte de menina de 4 anos reflete o horror da guerra na Ucrânia

Iryna Dmytriyeva postou um vídeo na quinta-feira...
Portal Mais MinasCuriosidadesEstudante de Minas Gerais é o primeiro brasileiro negro a se formar em Harvard

Estudante de Minas Gerais é o primeiro brasileiro negro a se formar em Harvard

A trajetória do jovem recém-formado é especial pois, além de ser a primeira pessoa negra brasileira a se formar em Harvard, foi uma história de superação, sobretudo por Arthur ter estudado em escolas públicas, municipais e estaduais.

Com 25 anos de idade, Arthur Abrantes, que é de Paracatu de Minas, se formou em computação pela Universidade de Harvard (Harvard College), em Massachusetts, nos Estados Unidos da América (EUA).

A trajetória do jovem recém-formado é especial pois, além de ser a primeira pessoa negra brasileira a se formar em Harvard, foi uma história de superação, sobretudo por Arthur ter estudado em escolas públicas, municipais e estaduais durante os ensinos fundamentais I e II, em seguida ter concluído o ensino médio o Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM), instituição também pública. 

“Semana passada eu me tornei o primeiro brasileiro negro a se formar em Harvard College. Eu dedico essa conquista ao meu pai, Wariston Abrantes, que faleceu no meu segundo ano. Meu pai não teve as mesmas oportunidades que eu tive, mas abriu o caminho para mim”, publicou  Arthur Abrantes em suas redes sociais. 

Paracatu de Minas é um município conhecido por possuir um número significativo de instituições de ensino. A cidade é um polo atrativo educacional e de trabalho devido à presença de várias escolas e de empresas. 

Na Universidade de Harvard não existe programa de cotas para negros como acontece nas faculdades e universidades brasileiras, o que torna a inserção de alunos como Arthur ainda mais difícil. 

Contudo, vale ressaltar a importância das cotas raciais para o Brasil, já que foi o país onde a escravidão perdurou por três séculos, deixando suas chagas em diversos setores sociais, entre eles no ensino e no mercado de trabalho. 

As políticas de cotas introduzidas durante os governos do PT no Brasil já surtem efeitos. Subiu para 400% o número de alunos negros (pardos e pretos) em instituições de ensino superior, considerando o período entre 2010 e 2019. Essa população já não é mais minoria nas faculdades e universidades, representam 38,15% de matriculados em, todavia continua sendo um obstáculo grande ocupar cargos dirigentes dentro de empresas e na política. 

Para incentivar outros estudantes brasileiros que queiram se graduar na Harvard College ou em qualquer outra universidade americana, Arthur Arantes fundou um canal na internet com aulas gratuitas onde ensina desde as diferenças entre os cursos até como conseguir bolsas que viabilizem a permanência dos alunos no país. 

Além de ser aceito na Universidade de Harvard, Arthur também foi admitido na Stanford, em Palo Alto, na Califórnia. 

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: