Take a fresh look at your lifestyle.

Saiba como foi o terceiro debate presidencial promovido pela TV Gazeta/Estadão

O terceiro debate entre os presidenciáveis na televisão aberta, realizado pela TV Gazeta e o grupo Estado com a Rádio Jovem Pan e o Twitter, aconteceu na noite deste domingo (09).  O encontro reuniu os candidatos que tentam ganhar terreno sobre o eleitorado dos líderes das pesquisas que não estavam presentes – o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que por decisão da justiça foi impedido de concorrer, e o deputado Jair Bolsonaro (PSL – RJ), hospitalizado depois do atentado sofrido na última quinta-feira (06).

Estavam presentes Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Álvaro Dias (Podemos), Henrique Meirelles (MDB) e Guilherme Boulos (PSOL).  O candidato Cabo Daciolo (Patriotra), que havia confirmado presença, não compareceu.  O PT, por ainda não apresentar um nome à presidência da República, não teve representante no debate.

O confronto foi dividido em 5 blocos. No primeiro houve troca de perguntas entre os candidatos; no segundo, as perguntas eram realizadas por jornalistas. No terceiro bloco, novamente houve trocas de perguntas e respostas entre eles. O quarto bloco ficou a cargo de perguntas feitas por internautas encaminhadas pelo Twitter e no quinto, cada candidato teve pouco mais de um minuto para fazer suas considerações finais.

A tática de jogar uma pergunta sobre algum assunto, para que na réplica pudessem promover suas próprias ideias, foi novamente utilizada. Foi assim com Marina Silva (Rede) quando perguntou a Guilherme Boulos (PSOL) sobre a questão indígena, e o candidato respondeu enaltecendo que sua vice é Sonia Guajajara, uma liderança indígena que vive no maranhão. O ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) fez o mesmo ao perguntar sobre saneamento básico para Henrique Meirelles (MDB). Os dois candidatos protagonizaram alguns embates que foram limitados pelo curto tempo das interações.

Apesar da inexpressiva audiência do debate na televisão, Ciro Gomes (PDT) apareceu em 45% das menções ao debate no Twitter e em outras redes sociais. Para Andrei Roman (consultor do Atlas Político), o debate apontou que Ciro Gomes foi o grande destaque da noite, ao lado de Alckmin que conseguiu um desempenho razoável. Para Roman, Marina foi bem abaixo do que era esperado.  O consultor ainda destaca que a vantagem de Ciro no debate fica diluída pela baixa audiência do confronto.

Os candidatos fizeram questão de manifestar pesar pelo atentado contra Jair Bolsonaro e o pouparam de ataque diretos. As provocações mais intensas foram trocadas entre Boulos e Meirelles, sempre iniciadas pelo candidato do PSOL que, em uma delas afirmou: “Você fala em ‘chama o Meirelles’, e eu falo em ‘taxa o Meirelles’. Meirelles, por sua vez, retrucou o contra-ataque afirmando que conquistou sua fortuna trabalhando, ao contrário de outras pessoas, numa referência à militância de Boulos no movimento dos sem-teto.

A última pesquisa do Ibope mostrou Ciro, Marina e Alckmin empatados na disputa pelo segundo lugar. Caso a tendência apontada pelo instituto esteja correta, o candidato do PTD, por ser considerado como tendo o melhor desempenho no encontro, foi quem melhor se aproveitou deste terceiro debate presidencial.

Leia também: IBOPE: Bolsonaro mantém liderança; Ciro sobe e aparece em segundo ao lado de Marina