BolsonaroEleições 2018Governo FederalJair BolsonaroLulaNetflixOpiniãoTV

Democracia em Vertigem: Uma aula de história atual

O documentário mostra, bem de perto, a trajetória do impeachment de Dilma Roussef, a ruína do PT, e a ascensão da direita no Brasil

O documentário da cineasta brasileira Petra Costa dá uma aula de história para quem não se lembra da história. Democracia em Vertigem mostra, bem de perto, a trajetória do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, a ruína do Partido dos Trabalhadores (PT), e a ascensão da direita no Brasil.

Filmado de dentro das paredes do Congresso Nacional às manifestações nas ruas, Petra nos leva para dentro do coração da política no Brasil. Entretanto, cada cena nos faz revirar a cabeça, é um verdadeiro soco no estômago. Porém, tudo isso serve para olharmos com diferentes visões para o cenário atual.

Com uma narrativa hipnotizante, Petra narra fatos importantes na história nacional. Isso nos faz entender onde estamos hoje. É olhar o passado para entender o presente. Fatos como a esquerda e a direita brasileira ganhando força e indo ao poder no Brasil são mostrados e articulados aos contextos de suas diferentes épocas.

Fazendo sempre uma ligação com sua história de vida, Petra usa vídeos pessoais seus e de sua família para compor a narrativa. Uma das entrevistadas é sua própria mãe. A cineasta e sua família se ligam ao documentário da mesma forma que quem assiste, reflete sobre sua própria vida.

Todos nós somos agentes na história do Brasil. Democracia em Vertigem nos reinsere na teia social e nos faz relembrar onde estávamos enquanto tudo acontecia.

A história do documentário, mais especificamente, nossa história, é retratada com fotografias excepcionais. A  narração, calma e fria, com o uso intrigante dos silêncios em momentos estratégicos, nos leva para dentro de nossos pensamentos. O acesso aos maiores nomes da política brasileira, faz olharmos a classe política do país de dentro para fora.

Petra Costa e a Netflix apresentam Democracia em Vertigem.

Lula – da ascensão à prisão

O documentário apresenta imagens do ex-presidente Lula aos 30 e poucos anos, antes da criação do PT e liderando milhares de trabalhadores nas greves dos anos 70.

Com isso, Petra mostra a força com que os brasileiros das fábricas e industrias queriam ser ouvidos pela sociedade. Lula era colocado no colo pela multidão.

Do mesmo modo, em 2018, o mesmo Lula volta aos braços dos brasileiros, ao anunciar que se entregaria à prisão. O recorte de cenas e a relação que Petra faz para esses dois momentos são magnificos e de uma força cinematográfica excepcionais.

Lula momentos antes de se entregar a prisão
Crédito da foto: Francisco Proner Ramos

O documentário mostra, de perto, a trajetória de Lula e como o ex-presidente articulou politicamente a eleição de Dilma.

Além disso, a produção apresenta os momentos finais do processo de impeachment, até os últimos minutos de liberdade do sindicalista. Sobretudo, a obra mostra a condução do processo que condenou Lula a 12 anos de prisão.

Petra Costa teve acesso aos mais polêmicos momentos da política atual e usou disso com maestria.

Dilma – O impeachment (ou golpe ?)

Talvez o ponto alto da produção seja a narrativa do processo de impeachment sobre a ex-presidente Dilma, que colocou o seu vice, Michel Temer no poder.

Mais digno de nota, a narrativa deste episódio brasileiro, foi construída, primeiramente, sobre os motivos que levaram à abertura do processo. Como resultado, Petra narra a destituição da Presidente e também a forma com que Dilma lidou com o afastamento do cargo.

A diretora mostra, com grande contextualização e articulação, os motivos e polêmicas que ocasionaram o processo de impeachment.

Com o uso de áudios vazados, e contradições assombrosas da classe política, Petra reconstrói a narrativa do processo de impeachment. Além disso, a diretora usa citações de pensadores, e declarações de políticos para esclarecer estes momentos.

Uma outra característica do documentário é a humanização de personalidades que marcaram a política brasileira. Entre elas, Dilma Roussef. A relação de Petra com Dilma, faz com que vejamos que além de figura pública e ex-presidenta do Brasil, Dilma é um ser humano como qualquer outro.

A ex-presidente Dilma Roussef
Credito da foto: Martin Acosta/Reuters

A direita no poder

Democracia em Vertigem mostra a ascensão, aos poucos, da direita ao poder, devido a grande polarização do país.

De um lado, à direita, constituída de militantes contra a corrupção e o Partido dos Trabalhadores. De outro lado, à esquerda, com pessoas favoráveis do PT e que o defendiam das acusações de corrupção. Assim se dividiu o país e os resultados disso seguem reverberando no cenário político brasileiro.

Dessa forma, com o país dividido, aparece um homem que promete acabar com a corrupção e levar o Brasil para o lado direito da política.

Com apoio da elite brasileiras, de bancadas extremistas e as fortes críticas ao PT, a direita chegou ao poder. Jair Messias Bolsonaro é eleito  Presidente da República em 2018, com mais de 57 milhões de votos.

Bolsonaro eleito presidente
Crédito da foto: REUTERS/Sergio Moraes

Fechar