Dica de Português: vamos falar sobre o uso dos porquês…

Por que, por quê, porque ou porquê?… O uso dos porquês pode ser bem difícil para algumas pessoas, prova disso é que esse é um dos temas mais recorrentes quando se fala em dúvidas da Língua Portuguesa.

Tudo seria mais fácil se existisse apenas um deles ou se pudéssemos utilizar a abreviação PQ, não é mesmo? Até pode, mas somente nas suas mensagens de celular, chats de redes sociais, etc. Nas provas e redações, você precisa utilizá-los corretamente no texto ou você perderá pontos ou até não ser contratado, se for em um processo seletivo, por exemplo.

Foi para tirar essa dúvida que escrevi este artigo. Vamos lá?

Como você pôde perceber no início do texto, há quatro formas de se grafar o “porquê”:

– por que (duas palavras separadas e sem acento);

– porque (tudo junto e sem acento);

– por quê (duas palavras e com acento);

– porquê (junto e com acento).

Vamos ver como usar cada um:

POR QUE

Usa-se “por que” (duas palavras separadas e sem acento) em frases interrogativas diretas e indiretas. Em outras palavras, usa-se “por que” para iniciar uma pergunta direta ou indireta.

Por exemplo:

Por que você não foi trabalhar ontem? (pergunta direta)

Você sabe por que eu ajo assim (pergunta indireta)

PORQUE

Usa-se “porque” (tudo junto e sem acento) para iniciar orações explicativas e causais. “Porque” é uma conjunção explicativa e tem o mesmo significado de pois, visto que, uma vez que. Se você conseguir substituir por uma dessas três, essa é a forma correta.

Veja o exemplo:

Eu não fui trabalhar ontem, porque estava doente.

Ou então:

Eu não fui trabalhar ontem, pois estava doente.

Eu não fui trabalhar ontem, uma vez que estava doente.

POR QUÊ

Usa-se “por quê” quando a expressão aparecer em final de frase ou sozinha. Em outras palavras, é utilizado no final da frase, antes de ponto (final, de interrogação, de exclamação ou, para alguns, vírgula e ponto e vírgula).

Veja o exemplo:

Por quê?

A nota está correta? Por quê?

Você vai a pé, por quê?

PORQUÊ

Usa-se “porquê” quando a expressão for sinônima de motivo, razão, causa. Virá sempre precedido de artigo ou de um pronome.

Por exemplo:

Qual é o porquê de tanta tristeza?

Você pode me dizer o porquê desse choro?

Ou então:

Qual o motivo, a razão ou a causa de tanta tristeza?

Você pode me dizer o motivo, a razão, a causa desse choro?

Compreendeu? Se ainda tiver dúvida:deixe nos comentários ou envie por e-mail: [email protected]

Comentários estão fechados.