21.4 C
Belo Horizonte
segunda-feira, 6 fevereiro 2023

12 dicas para evitar conflitos familiares durante o Natal

Algumas mudanças de pensamento podem ajudar na hora de evitar brigas entre parentes

O final do ano é uma época que mexe muito com o psicológico das pessoas. A pressão dos presentes e em deixar a casa e as mesas prontas para receber os parentes, os centros urbanos agitados e até mesmo o trânsito, são fatores que podem influenciar em um momento especial, fazendo com que ele ao invés de ser positivo, seja negativo. Os conflitos familiares, muito comuns durante o Natal, podem e devem ser evitados.

- Participe da comunidade do Mais Minas no WhatsApp e seja o primeiro a ser informado de novas notícias. CLIQUE AQUI PARA ENTRAR.


Costumamos dizer que o mês de dezembro é a sintetiza emoções e lembranças que vivenciamos o ano inteiro. Se a ceia de Natal é como um start para o pensamento “pronto, conclui este ciclo (ano) com sucesso), outras emoções podem vir junto com tal pensamento, como a culpa por não ter conseguido atingir algum objetivo ou a frustação de não ter um Natal como o sonhado.

A expectativa também é um fator determinante, dependendo do que se almejou viver, oferecer ou receber e não ter essa expectativa superada, pode causar um certo desconforto. E, com emoções tão a flor da pele basta “acender um fósforo” para que a combustão aconteça, ela sempre ocorre entre pessoas que se amam, causando muitos conflitos familiares.

Não é apenas a polarização política, que tem sido intensa no Brasil, que separa as famílias, mas sobretudo o orgulho e a incapacidade de ceder em alguns pontos. É obvio que ninguém precisa se ignorar o tempo inteiro, porém, estragar um momento tão especial por causa de “uva passas” não é muito inteligente.

E por falar em inteligência, a emocional é a que vai ditar as regras durante a reunião familiar. Embora o Natal seja uma comemoração cristã, as pessoas precisam compreender que nem todos partilham da mesma fé. Talvez algum familiar esteja ali somente para aproveitar a ocasião para confraternizar com o seus. A individualidade deve ser respeitada.

É muito comum que durante as festas de final de ano as pessoas sintam tristeza, arrependimento. Este é de fato um momento que cabem reflexões mais profundas. O que não podemos permitir que façamos é procurar culpados para algo que não deu certo, principalmente no seio familiar. Precisamos aprender a lidar com nossos desapontamentos sem culpar os outros.

Outra questão que pesa na hora dos conflitos familiares é são as disputas. Como diz o velho “deitado” “a grama do vizinho é sempre mais verde do que a nossa”, mas pagar o preço ninguém quer, não é mesmo? É disputa por quem é mais prospero, por quem educa seus filhos melhor, por quem está mais bonito, por quem está numa faculdade melhor, o marido que mais foi promovido do emprego, a esposa que mais se cuida, a do lar que cuida mais dos afazeres domésticos ou a empoderada que mais conseguiu conquistas profissionais. Enfim, a competição entre família pode ocorrem nos campos mais inimagináveis e isso causar alguns conflitos desnecessários.

Aquele que é mais conservador tende a julgar as novas formas de vida, como casal homoafetivo, por exemplo. Enquanto que na outra ponta os mais progressistas podem julgar as tradições familiares como obsoletas. Estes são outros motivos para que as indesejadas discussões aconteçam.

Não é novidade que no dia 26 de dezembro leiamos na imprensa crimes ocorridos durante o Natal, e o pior, cometidos de filho contra pai, ou tio contra sobrinho, marido contra mulher, neto e avô e por aí em diante. É uma triste realidade que acomete as famílias. Muitas vezes corremos o risco de pensar que tais conflitos familiares nunca irá acontecer conosco, sem sequer termos cuidado com as palavras ou atitudes. Tais tragédias podem ser evitadas com um pouco mais de senso crítico e saúde mental.

Se conhecer é importante, quando você conhece suas sobras e luzes e tem seus defeitos apontados por alguém, aquilo não te afeta tanto, a tal ponto de você reagir com agressividade, pois serão informações que não são nenhuma novidade para você. Quer saber outras maneiras de evitar brigas durante a festa natalina? Veja a seguir!

Evitando conflitos familiares no Natal

Para evitar desentendimentos durante o Natal todas as pessoas precisam ceder um pouco. Se comunicar antes da data é importante, pois todos precisam saber a principal motivação da reunião, a confraternização em família. Confraternização não combina com conflitos familiares. Não seja a pessoa que vai estragar o clima, já está fora de moda!

Guarde seus comentários políticos

Tendo em vista que este foi um ano de Eleições (2022) e que a derrota de alguns e vitória de outros ainda é recente, vamos evitar mexer em “vespeiro”. Aquele comentário que pode parecer inocente, sobre esquerda ou direita, liberal ou socialista, Bolsonaro ou Lula, pode ser o pivô de uma grande confusão. Enquanto que tais políticos estarão em suas casas curtido em família, você não vai brigar com a sua por causa deles, não é mesmo?

Guarde os comentários negativos sobre características físicas das pessoas

Isso serve para viver em sociedade. Se alguém não está lhe agradando fisicamente, não é obrigação da pessoa, o problema pode estar nos seus próprios olhos. Tente não externar comentários negativos sobre as formas físicas de alguém, você não sabe se essa pessoa está lutando contra uma depressão ou aceitação. No mais, você pode receber uma invertida desnecessária e isso criar um clima em família.

Não fique questionando o estado civil das pessoas

“Chegou a solteirona”, “vai ficar para titia?”, nem todo mundo tem os mesmos sonhos e planos que você. Se você optou por se casar e constituir uma família, ótimo, parabéns, se alguém resolveu investir na carreira profissional, ou mesmo não tenha paciência de encarar uma vida à dois, deixe ela em paz. Tente pensar fora do senso comum que você será mais feliz.

Cada um com sua fé

Conforme já escrevemos aqui, vivemos em um país laico, onde as pessoas são livres para manifestar a fé que escolheram para elas. Não tem coisa mais chata do que um familiar tentar converter o outro a noite inteira, isso pode causar conflitos familiares desnecessários. Tente aproveitar o momento para saber um pouco mais sobre a vida dessa pessoa que você tanto ama e quem sabe os motivos que a levaram a escolher sua religião. Isso vale para evangélicos, católicos, budistas, espiritas, e tantos outros credos.

Deixe as disputas para o esporte

Talvez você seja o tipo de pessoa competitiva, no campo profissional e esportivo isso é até válido, mas em família acaba sendo brega. Fique feliz com o que conquistou sim, desde que essa não seja sua “arma” para jogar na cara do outro que não conseguiu. Lembre-se do principal sentido do Natal, o menino Jesus, que nasceu numa manjedoura, rodeado por animais, etc e tal.

Músicas

Durante uma confraternização de Natal a música é bem vinda. Ela embala momentos únicos em família. Todas as pessoas que irão participar precisam considerar que na família não existe somente gente que possui o mesmo gosto musical que elas. Ali termos crianças, idosos, adolescentes e adultos. A priori tentem o gosto do anfitrião da festa. Depois tentem conversar sobre e quem sabe dividir o tempo de música, separar em grupos pode facilitar.

As crianças normalmente preferem os clássicos, “Jingle Bells” e afins, pois ainda tem a ideia lúdica do Natal com o Papai Noel, duendes, renas, e tals. Jovens e adultos podem preferir “sarrar” até o chão, já os idosos não perdem o tradicional show de Roberto Carlos. Tem a turma da mpb e tem a outra do sertanejo. Fiquem atentos aos detalhes, pois essa falta de comunicação pode gerar conflitos familiares.

Hummm, amigo oculto não é uma boa ideia

Foi-se o tempo que o amigo oculto (ou amigo secreto) era uma boa ideia para se praticar em família, com as sequenciais crises econômicas ou boa parte da família opta por não participar, ou alguém pode sair no prejuízo, oferecendo um presente bom e recebendo um ruim.

Permitir que as pessoas se presenteie de forma mais natural é melhor e pode evitar que os conflitos familiares ocorram.

Celular para fotos

Tudo bem que a era digital veio para ficar, mas não há nada mais desagradável do que uma pessoa totalmente ausente dos acontecimentos de uma confraternização em família. Procure se inteirar nos assuntos abordados, contar piadas, ouvir casos. Tendo em mente que estamos todos retornando de uma pandemia que afastou as pessoas, muitas ainda estão reaprendendo o convívio social, talvez você seja uma e ainda não percebeu.

Tente o exercício da conversa, inteiração. Isso fará bem para você e aos outros.

Segura o “freio” das bebidas alcóolicas

Mesmo que você esteja muito feliz em ter as pessoas que mais ama no mundo por perto, os exageros com as bebidas alcóolicas podem resultar em agressividade verbal e até mesmo física. Que tal aproveitar mais os quitutes que a data oferece e deixar a festança para a Virada do Ano?

A bebida alcoólica, além de diminuir os reflexos, podem estimular atitudes que sóbrio você não faria de jeito nenhum. Pense nisso!

Perdoar e ser perdoado

Se porventura você não conseguiu segurar a língua dentro da boca, se permita a experiência de pedir perdão. Ou se alguém fez alguma coisa que você não gostou e pediu desculpas, releve. Todo mundo está tentando melhorar de alguma forma. Você também não é um “alecrim dourado”.

Uva passas

Que tal um Natal mais democrático, com as uvas passas em uma tigela separada e quem quiser comer se serve? Isso pode evitar pequenas tensões ou maiores conflitos familiares. De toda maneira, não é um motivo para tanta polêmica e confusões.

Assuntos polêmicos demais

Se um determinado assunto divide opiniões demais talvez seja o caso de acompanhá-lo somente pelos jornais ou redes sociais. Temas como regulamentação do aborto, liberação da maconha, eutanásia, entre outros, devem ser evitados. Além do mais, são assuntos pesados demais para uma data como o Natal, não acha?

No mais, o uso do bom senso deve prevalecer. Se está em dúvida, não fale, desta forma você estará se privando e privando os outros de se envolverem em conflitos familiares! Seja feliz e aproveite os momentos em família, eles fazer muito bem para o corpo e sua mente agradece. Feliz Natal!

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: