21.5 C
Belo Horizonte
quarta-feira, 30 novembro 2022

Fábrica de fertilizantes em MG terá investimento de R$ 5 bilhões e 2 mil empregos serão gerados

De acordo com a prefeitura de Uberaba, o projeto é sustentável e possui alto grau de inovação tecnológica.

Gerdau tem lucro líquido de R$ 3 bilhões no 3º trimestre do ano

Sólidos resultados financeiros da empresa refletem principalmente forte desempenho na América do Norte no período

Auxílio Brasil: saiba os benefícios disponíveis e como garanti-los

Coordenado pelo Ministério da Cidadania e criado...

Fecomércio-MG prevê movimentação de R$ 141 milhões durante Copa do Mundo

Copa do Mundo pode influenciar as vendas da Black Friday e Natal, já que acontecerá entre o final de novembro e início de dezembro

Os estabelecimentos de Minas Gerais devem se preparar para receber um maior número de clientes durante o mês de novembro. Acontece que devido à Copa do Mundo, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Minas Gerais (Fecomércio MG) prevê movimentação de R$ 141 milhões no varejo mineiro. 

Segundo a Fecomércio o número acima representa um aumento significativo de 12,96% em relação ao Mundial de 2018. A positiva expectativa supõe que Minas erguerá a receita de 9,5%, ficando na segunda colocação brasileira em relação à Copa, São Paulo ainda domina, com 34,9%. 

Os índices foram levantados pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que usou métodos estatísticos para realizar o prognóstico. A Copa do acontecerá em Qatar, entre os dias 20 de novembro e 18 de dezembro, o que também indica um evento importante para a economia brasileira: a Black Friday. 

Há expectativa de um crescimento econômico em Minas também do Núcleo de Estudos Econômicos, da Fecomércio MG, que realizou a pesquisa “Opinião do Comércio Varejista – Copa do Mundo 2022”, onde, segundo a Federação, cerca de 43% das empresas do comércio estadual acreditam que serão impactadas pelo mundial de 2022. 

Na mesma pesquisa os empresários foram indagados sobre os impactos da Copa do Mundo nas compras referentes à Black Friday e o natal. Ainda de acordo com a Fecomércio, 47,3% responderam que o período irá influenciar as vendas da Black Friday de forma positiva. Outros 16,3%, por outro lado, relataram que a influência será negativa. 

O economista da Fecomércio de Minas Gerais, Guilherme Almeida, disse que “a principal preocupação surge no tocante ao processo de transferência da demanda, com consumidores adquirindo bens e serviços antes da data comercial, provocando um efeito esvaziamento na Black Friday”

Ações das empresas 

Usando ainda como base os dados da pesquisa mencionada acima, a adesão dos empresários às campanhas publicitárias é uma forte tendência. Devido ao aumento da movimentação econômica, dirigentes irão investir em além de divulgações, promoções. Aproximadamente 18% deles pensam em lançar combos promocionais, enquanto que 4% oferecerão brindes aos clientes. Vale tudo para ganhar a preferência dos clientes. Com o aumento das ofertas, aumenta também a competitividade. “Diante de tais ações, os varejistas acreditam que o gasto médio por consumidor será de R$50,00 a R$100,00 (23%) e R$100 a R$250 (15,8%)”, divulgou a Fecomércio. 

Ranking de produtos que serão mais vendidos segundo perspectiva da Fecomércio 

Eletrodomésticos e móveis – 34%
Artigos de uso pessoal e eletrônicos – 22%
Vestuário e calçados – 21%
Hipermercados – 17%

Com isso, outros segmentos podem também ser beneficiados.  

Os estabelecimentos de Minas Gerais devem se preparar para receber um maior número de clientes durante o mês de novembro. Acontece que devido à Copa do Mundo, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Minas Gerais (Fecomércio MG) prevê movimentação de R$ 141 milhões no varejo mineiro. 

Segundo a Fecomércio o número acima representa um aumento significativo de 12,96% em relação ao Mundial de 2018. A positiva expectativa supõe que Minas erguerá a receita de 9,5%, ficando na segunda colocação brasileira em relação à Copa, São Paulo ainda domina, com 34,9%. 

Os índices foram levantados pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que usou métodos estatísticos para realizar o prognóstico. A Copa do acontecerá em Qatar, entre os dias 20 de novembro e 18 de dezembro, o que também indica um evento importante para a economia brasileira: a Black Friday. 

Há expectativa de um crescimento econômico em Minas também do Núcleo de Estudos Econômicos, da Fecomércio MG, que realizou a pesquisa “Opinião do Comércio Varejista – Copa do Mundo 2022”, onde, segundo a Federação, cerca de 43% das empresas do comércio estadual acreditam que serão impactadas pelo mundial de 2022. 

Na mesma pesquisa os empresários foram indagados sobre os impactos da Copa do Mundo nas compras referentes à Black Friday e o natal. Ainda de acordo com a Fecomércio, 47,3% responderam que o período irá influenciar as vendas da Black Friday de forma positiva. Outros 16,3%, por outro lado, relataram que a influência será negativa. 

O economista da Fecomércio de Minas Gerais, Guilherme Almeida, disse que “a principal preocupação surge no tocante ao processo de transferência da demanda, com consumidores adquirindo bens e serviços antes da data comercial, provocando um efeito esvaziamento na Black Friday”

Ações das empresas 

Usando ainda como base os dados da pesquisa mencionada acima, a adesão dos empresários às campanhas publicitárias é uma forte tendência. Devido ao aumento da movimentação econômica, dirigentes irão investir em além de divulgações, promoções. Aproximadamente 18% deles pensam em lançar combos promocionais, enquanto que 4% oferecerão brindes aos clientes. Vale tudo para ganhar a preferência dos clientes. Com o aumento das ofertas, aumenta também a competitividade. “Diante de tais ações, os varejistas acreditam que o gasto médio por consumidor será de R$50,00 a R$100,00 (23%) e R$100 a R$250 (15,8%)”, divulgou a Fecomércio. 

Ranking de produtos que serão mais vendidos segundo perspectiva da Fecomércio 

Eletrodomésticos e móveis – 34%
Artigos de uso pessoal e eletrônicos – 22%
Vestuário e calçados – 21%
Hipermercados – 17%

Com isso, outros segmentos podem também ser beneficiados.  

Balanço Geral

No ano de 2021 o estado de Minas Gerais teve um fechamento relativamente positivo. Registrando um Produto bruto Interno (PIB) de R$ 805,5 bilhões, o estado se destacou no senário econômico nacional, visto que apresentou uma expansão de 5,1% em comparação ao ano anterior (2020), sendo o crescimento superior à média nacional, que na ocasião (2021) foi de 4,6%.

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: