O que você procura?

Ouro Preto é a única cidade da região com saldo negativo na geração de empregos em 2021

Dados do Caged mostram que a cidade histórica perdeu 930 empregos formais no período compreendido entre janeiro e outubro de 2021.
Rodolpho Bohrer 8 de dezembro de 2021 às 17:47
Tempo de leitura
4 min

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostram que Ouro Preto perdeu 930 empregos formais no período compreendido entre janeiro e outubro de 2021. Em Mariana, cidade vizinha mais próxima, a situação é contrária, com geração de 1.410 postos de trabalho.

Se considerarmos outras cidades da região, como Diogo de Vasconcelos, Itabirito, Congonhas, Conselheiro Lafaiete e Ouro Branco, a única cidade que apresenta saldo negativo é Ouro Preto.


Em Diogo Vasconcelos, o saldo é de 11 vagas. Já em Itabirito foram gerados 640 postos de trabalho. Na cidade de Congonhas foram geradas 2.057 vagas. Em Lafaiete e Ouro Branco o saldo positivo é de 1.332 e 1.062 vagas, respectivamente.

O saldo negativo em Ouro Preto é decorrente de 8.624 desligamentos ocorridos nos primeiros dez meses do ano, número superior ao total de contratações, que foi 7.694. O setor mais afetado negativamente é o da construção, que teve 5.023 desligamentos e 2.944 demitidos, gerando um déficit de 2.079 vagas.

Apesar do saldo negativo, os dados do Caged revelam uma melhora nos índices nos setores do comércio, indústria e serviço. Desses três, o que teve melhor desempenho foi o setor de Serviços, com saldo de 573 vagas decorrentes de 2.011 contratações e 1.438 demissões. A indústria contratou 1.347 profissionais, em carteira assinada, e demitiu 1.020, gerando um saldo de 573 oportunidades. O comércio, pouco mais tímido, contratou 1.385 pessoas e demitiu 1.020, portanto, tendo assim um índice positivo de 253 vagas.

Dados da empregabilidade em Ouro Preto, de janeiro a outubro de 2021 – Fonte: CAGED

Em Mariana, todos os setores (construção, agropecuária, comércio, indústria e serviços) tem saldo positivo na geração de empregos no mesmo período avaliado. Com 10.068 admissões e 8.658 desligamentos, o saldo na cidade primaz é de 1.410 postos de trabalho, tendo o setor de serviços como o que mais contribuiu com esse superávit, com 611 vagas. O setor de construção também é outro que se destaca em Mariana, com um saldo de 530 vagas.

Dados da empregabilidade em Mariana, de janeiro a outubro de 2021 – Fonte: CAGED

Comparativo com 2020

Apesar de Mariana seguir gerando oportunidades de empregos, mesmo com 2020 sendo um ano em que a pandemia esteva mais forte, por falta das vacinas, ainda sim o saldo de empregos foi maior de janeiro e outubro daquele ano. A geração total de empregos foi de 2.120, ou seja, houve 610 mais empregos gerados. Contudo, esses números se concentram muito no setor de construção civil, que geralmente faz contratações temporárias, apresentando números negativos para outros setores, como serviços e agropecuária. Ou seja, pode-se considerar que Mariana perdeu empregos formais temporários, mas evoluiu em setores com empregos formais mais duradouros.

Dados da empregabilidade em Mariana, de janeiro a outubro de 2020 – Fonte: CAGED

Assim como Mariana, Ouro Preto também teve melhores números em 2020, no mesmo período, muito por conta do setor de construção civil e, consequentemente, dos postos de trabalho temporários. O total de postos de trabalho gerados no período foi de 1.259, lembrando que esse ano o saldo é negativo, de 930 empregos perdidos. Entretanto, os setores de serviços e comércio apresentaram números negativos, o que sugere que, apesar do saldo positivo de 2020, em 2021 houve uma melhora de forma geral nos setores em que há empregos permanentes.

Dados da empregabilidade em Ouro Preto, de janeiro a outubro de 2020 – Fonte: CAGED

Dados em Minas Gerais

No estado de Minas Gerais, o total de postos de trabalho gerados é de mais de 300 mil. Durante janeiro e outubro, muitas vagas no estado foram geradas pelo setor de serviços, que contratou 723.743 pessoas e desligou outras 607.852, ficando um saldo de 115.691 somente nesse setor.

Dados do Caged para no ano de 2021, em Minas Gerais – Fonte: Caged

Para se ter ideia do tamanho da melhora da economia do estado, em 2020, no mesmo período, o saldo foi negativo, com déficit de 18.016 vagas. O setor de serviços, inclusive, apresentou uma perda de 28 mil vagas.

Dados do Caged para no ano de 2020, em Minas Gerais – Fonte: Caged

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.

Última atualização em 8 de dezembro de 2021 às 21:10