O que você procura?


Cursinho Presencial para estudar para o Enem vale a pena?

Elis Bohrer 28 de setembro de 2021 às 21:10
Tempo de leitura
4 min
Foto: Unsplash
Foto: Unsplash

A principal porta de entrada para uma universidade pública no Brasil, hoje em dia, é o Enem e sempre que se pensa nessa prova, as pessoas se perguntam: cursinho presencial para estudar para o Enem vale a pena?

Essa pergunta é comum, pois a maioria dos estudantes que vêm do Ensino Médio das escolas públicas costumam estar despreparados para enfrentar as 180 questões e a redação do Enem.

Além disso, por ser a maior porta para quem deseja ingressar em uma faculdade pública como a UFMG, por exemplo, os estudantes de escola pública competirão com alunos que vieram desde o berçário estudando em colégios particulares.

Existem exceções, mas a maioria dos colégios particulares oferecem uma grade curricular muito maior que os de escolas municipais e estaduais.

Portanto, fazer um cursinho presencial para estudar para o Enem não só vale a pena, mas é necessário.

Vantagens de um cursinho presencial estudar para o Enem

Fazer um cursinho presencial para estudar para o Enem é muito importante para que alunos que tenham pouco conhecimento adquirido nas escolas públicas sejam capazes de competir com outras pessoas bem estudadas.

LEIA TAMBÉM:  Como ajudar a criança a estudar durante a pandemia

Entre as vantagens principais, podemos citar:

  1. Professores atentos

Um dos problemas das escolas é que os professores não conseguem dar atenção especial a todos os alunos, seja porque a sala é composta por muitos alunos, seja porque o salário desses profissionais não permite que eles sejam tão dedicados assim também.

Nos cursinhos preparatórios, o estudante consegue sanar suas dúvidas junto ao professor, além de que esses profissionais estão sempre à disposição para tratar de assuntos da atualidade que poderão cair nas provas.

  1. Aulas dinâmicas

Quando o aluno escolhe fazer um cursinho presencial para estudar para o Enem, ele encontra aulas muito melhores de assistir, pois ele não chega na sala e senta para escrever as matérias e ir embora sem aprender nada como nas escolas públicas.

Nas aulas desses cursos, os professores utilizam filmes, simulados, jogos e diversas outras formas de explicar a matéria de um jeito diferente para que os estudantes fixem bem o assunto que estão vendo.

Por isso que é comum encontrar alunos que aprendem mais nesses meses de cursinho do que durante todos os anos do Ensino Médio em uma escola estadual, por exemplo.

  1. Base sólida de educação
LEIA TAMBÉM:  Como trabalhar com a educação infantil na pandemia?

Os alunos que vieram do Ensino Médio em escolas públicas não possuem uma base sólida para enfrentar toda a exaustiva prova do Enem, pois são 180 questões seguidas de uma redação no fim da prova.

Hoje em dia, dificilmente o estudante sairá das escolas com uma base que o permita se dar bem em todas as matérias que são exigidas no exame e, como a competição é contra milhões de alunos no Brasil, a chance de enfrentar alguém muito mais preparado é grande.

Por isso, fazer um cursinho presencial para estudar para o Enem é indispensável, já que esses cursos sempre entregam o mesmo que os colégios particulares em apenas um ano, muitas vezes.

Quando fazer um cursinho presencial para estudar para o Enem?

Os estudantes que escolhem esse tipo de curso, fazem isso logo após terminarem o Ensino Médio, pois é esse o momento que escolhem a faculdade de seus sonhos e decidem enfrentar o maior exame do Brasil.

LEIA TAMBÉM:  IFMG realiza seleção de professores substitutos

Mas, melhor ainda seria para o aluno que pudesse frequentar esses cursos antes de se formar, até para comparar  com o que se aprende na escola ao mesmo tempo e tirar as dúvidas com os professores das duas instituições.

Claro que devemos considerar a situação de algumas pessoas que precisam trabalhar de dia e estudar a noite e, nesses casos, os alunos devem acabar primeiro o ensino médio para depois começarem o cursinho preparatório geografia para o Enem.

Nesse caso, o aluno pode até entrar um ou dois anos mais tarde na universidade, já que começou depois o cursinho, mas as chances de passar são maiores a cada ano que se passa.

Então fazer um cursinho pré vestibular vale a pena?

Qual o valor do seu sonho? Essa é a pergunta que deve ser respondida por quem está se questionando se vale a pena pagar um cursinho presencial para estudar para o Enem, já que fazer uma universidade pública é uma das melhores chances para o sucesso de quem sonha em ter uma profissão de nível superior.