O que você procura?


Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item

UFOP terá atividades 100% presenciais a partir de março de 2022

Será exigido o passaporte de vacinação, com a comprovação da finalização do ciclo de imunização, que deve ser exigido para alunos, servidores e colaboradores.

Rômulo Soares 23 de novembro de 2021 às 19:55
Tempo de leitura
4 min
Foto: Fábio Augusto/UFOP
Foto: Fábio Augusto/UFOP

O Plano de Contingência apresentado pela Administração Central ao Conselho Universitário (Cuni) da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) foi aprovado no final da tarde desta terça-feira, 23 de novembro, com alteração da ampliação das atividades presenciais de ensino, pesquisa e extensão de 50% — percentual apresentado inicialmente — para 100%.

Também foi aprovado pelo Cuni o processo de retorno gradual dos servidores ao trabalho presencial na UFOP, sendo 20% até o dia 15 de janeiro de 2022, 50% após um mês e 100% passados dois meses. 

Foi aprovada ainda a exigência do passaporte de vacinação, com a comprovação da finalização do ciclo de imunização (uma ou duas doses, a depender da vacina), que deve ser exigido para alunos, servidores e colaboradores.


Os integrantes da comunidade universitária com comorbidades continuam com disciplinas e trabalho remotos, considerando as normativas já publicadas acerca do retorno presencial.

A UFOP tem campus em Ouro Preto, Mariana e João Monlevade. Confira a situação da pandemia nas três cidades:

Ouro Preto

O Boletim Epidemiológico mais recente divulgado pela Prefeitura Municipal nessa segunda-feira, 22 de novembro, oito novos casos de Covid-19 foram confirmados em Ouro Preto, totalizando em 6.523 casos. Desses, 6.471 se recuperaram e 132 morreram. A cidade histórica ainda tem cinco pacientes infectados internados, sendo apenas um do município. A taxa de ocupação de leitos ouro-pretanos é, atualmente, de 25%.

De acordo com o “vacinômetro” da Secretaria de Estado de Saúde, 70.197 pessoas foram vacinadas com a primeira dose da vacina contra a Covid-19, 61.700 com a segunda, 3.817 com a terceira e 5.725 com a dose de reforço, em Ouro Preto. Assim, 92.78% da população ouro-pretana está parcialmente imunizada contra a doença e 86,59% recebeu a imunização completa.

Mariana

O Boletim Epidemiológico desta terça-feira da Prefeitura de Mariana mostra seis casos confirmados de Covid-19 nas últimas 24h, totalizando em 10.726 casos, sendo 103 óbitos, 10.562 recuperados e 61 estão em recuperação.

O “vacinômetro” da Secretaria de Estado de Saúde indica que, em Mariana, 49.239 pessoas foram vacinadas contra a Covid-19 com a primeira dose, 40.637 com a segunda, 1.648 com a terceira e 3.852 doses de reforço foram aplicadas na cidade. Portanto, 80,66% da população está parcialmente imunizada contra o novo coronavírus na Primaz de Minas e 69,27% recebeu a imunização completa.

João Monlevade

Em João Monlevade, o informe mostra 10.801 casos de Covid-19 confirmados, sendo 252 óbitos, 19 em isolamento e 10.530 recuperados. A taxa de ocupação da enfermaria destinada para o tratamento do novo coronavírus é de 8%.

O “vacinômetro” da Secretaria de Estado de Saúde indica que, em João Monlevade, 59.541 pessoas foram vacinadas contra a Covid-19 com a primeira dose, 49.491 com a segunda, 1.548 com a terceira e 7.799 doses de reforço foram aplicadas na cidade. Portanto, 74,36% da população está parcialmente imunizada contra o novo coronavírus no município e 63,74% recebeu a imunização completa.

O ensino remoto e suas ferramentas

O ensino remoto foi uma maneira em que os profissionais da educação encontraram para que os alunos não ficassem totalmente prejudicados com o advento da pandemia do coronavírus.

Esta nova maneira de se comunicar alcançou não apenas as salas como diversos seguimentos, como empresas privadas, por exemplo. A maioria das pessoas precisaram aprender a dominar as ferramentas necessárias para compartilhar as telas dos seus celulares, tablets ou computadores.

Uma destas ferramentas é o Webinarcare, uma plataforma que permite a reunião de centenas de pessoas em apenas um evento, muito comum de ser usado na transmissão de seminários, palestras ou aulas.

É sempre bom estarmos atualizados neste sentido, principalmente ante a tamanhas incertezas.

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.

Última atualização em 30 de novembro de 2021 às 23:54