Escolas de Samba de Ouro Preto vão até Secretaria de Turismo cobrar repasse de recursos

Representantes das nove escolas de samba foram até a Casa de Gonzaga, onde é a Secretaria de Turismo, Indústria e Comércio de Ouro Preto, na tarde desta segunda-feira (17), para pressionarem o poder público sobre a falta da verba para montar o desfile do carnaval que acontece já no próximo domingo (23).

O valor acordado para cada escola é de R$ 40 mil, porém faltando menos de uma semana para o desfile das escolas, nenhum dinheiro ainda foi repassado, comprometendo toda a montagem das alegorias.

“Aquilo que você planejou para fazer, que o carnavalesco rabiscou, colocou no papel, criou as fantasias e pensou que iria estar pronto para o desfile, não vai ser possível por falta de dinheiro. A Liga das Escolas de Samba tem cheques que adiantou para algumas escolas fazerem compra que estão vencendo hoje. Nosso orçamento está estourado, tem escolas com dívidas altas e fica difícil até para negociar com os fornecedores dos materiais para o próximo ano, já que você não tem dinheiro para pagar”, disse João Bosco Neves, presidente da Liga das Escolas de Samba.

Lembrando que a patrocinadora do carnaval de Ouro Preto 2020 é a cerveja Skol e a empresa responsável pelo projeto e organização do evento é a Pulsar, de Belo Horizonte.

De acordo com o secretário de Turismo, Indústria e Comércio, Felipe Guerra, o dinheiro do patrocinador já está na conta da Pulsar, porém, espera uma assinatura no Ministério da Cultura para a liberação desse dinheiro destinado às escolas de samba.

“Como o recurso das escolas de samba vem de forma entre a lei de incentivo à cultura, o patrocinador, a Pulsar e a Liga das Escolas de Samba, não passa nada pela Prefeitura. O que o município está fazendo é tentando ajudar nos trâmites no Ministério da Cultura, a Ambev (empresa da marca Skol) já depositou o recurso, o dinheiro já está na conta do Ministério da Cultura, mas, como nas últimas semanas tivemos a troca do ministro da cidadania que é onde está o Ministério da Cultura, e também a troca da secretária, está havendo um problema de assinatura para a liberação do recurso”, alegou Felipe Guerra.

Após a reunião entre a Liga das Escolas de Samba com o secretário Felipe Guerra, foi acordado que R$ 10 mil fossem depositados nesta terça-feira (18) para cada escola, mas continua sem previsão para que a verba chegue, por completo, nos cofres das agremiações carnavalescas de Ouro Preto.

Prazos descumpridos

O recurso disponibilizado pela Ambev para as escolas de samba está inserido no projeto de lei de incentivo. Com isso, o prazo para o pagamento era até dia 10 de fevereiro, firmado em contrato com a Liga das Escolas de Samba. Porém, ainda não foi depositado nenhuma verba na conta de nenhuma agremiação.

Comentários estão fechados.