Especial Campeonato Mineiro 2020: Caldense, a “Veterena” de Poços de Caldas

A 106ª edição do Campeonato Mineiro 2020 está chegando, este que é um dos mais tradicionais estaduais do país. Com a competição cada vez mais próxima, o Mais Minas preparou uma série de matérias especiais sobre os clubes que disputarão a divisão principal do torneio. Depois de Tupynambás, Boa Esporte, Tombense e URT, agora é a vez da Caldense, a famosa “Veterana”.

O alviverde de Poços de Caldas teve sua fundação em 7 de setembro de 1925 e já trouxe grande orgulho para o povo de sua cidade no decorrer destes 95 anos de história. São 52 participações no Campeonato Mineiro, sendo 48 no Módulo I e oito no Módulo II. E também disputou seis vezes a Copa do Brasil, seis vezes o Campeonato Brasileiro Série D, e uma edição da Série C e B. Mas, em 1979, o alviverde alcançou algo que poucos clubes mineiros tiveram a oportunidade, que foi jogar na elite do futebol nacional, o Campeonato Brasileiro Série A.

Em 2002, a Caldense conseguiu conquistar seu maior título em toda sua história, o título de Campeão Mineiro. Naquela oportunidade, a competição era de completamente decidida nos pontos corridos, e o time de Poços de Caldas somou 26 pontos, com sete vitórias, sete empates e duas derrotas. Com isso, a equipe alviverde ficou a um ponto do Ipatinga e levantou o caneco daquela edição, que não contou com a participação de América, Atlético e Cruzeiro que, assim como o Mamoré, estavam disputando a Copa Sul-Minas.

Especial Campeonato Mineiro 2020: Caldense, o alviverde de Poços de Caldas
Especial Campeonato Mineiro 2020: Caldense, o alviverde de Poços de Caldas

Estádio e sede

O futebol chegou à Poços de Caldas no ano de 1904, por Paulino de Souza, um dos fundadores do Foot-ball Club. Após isso, foram surgindo algumas agremiações na cidade interessadas no esporte, como o Internacional F.C, que encerrou suas atividades em fevereiro de 1925. Algumas pessoas que atuavam nessa agremiação tiveram o interesse de seguir e formaram a Associação Atlética Caldense.

A Associação ganhou interesse popular na cidade e, assim, a Associação Atlética Caldense se fundiu com o Gambrinus F.C e ganhou corpo para disputar jogos na região. Entretanto, o clube não possuía sede e suas partidas eram disputadas no antigo campo de Internacional F.C.

No início, os fundadores do clube já escolheram o terreno do “Chalé Procópio”, que era um enorme brejo, para a realização das atividades futebolísticas. E em 1926 já começaram a dar os primeiros passos para conseguir a área que pertencia ao Coronel Christiano Ozório.

Especial Campeonato Mineiro 2020: Caldense, o alviverde de Poços de Caldas
Assinatura da doação da área do Chalé Cristiano Osório para a Caldense. Na foto, o prefeito Dr. David B. Ottoni e o doador Cristiano Osório Filho. Crédito da foto: Arquivo da Caldense

Em 1929, uma comissão chefiada pelo prefeito Carlos Pinheiros foi a São João da Boa Vista e conseguiu, por intermédio do coronel Osório, a cessão de um imóvel para realizar as atividades da Caldense. Mas só em 1947 a diretoria do clube conseguiu um prazo maior, de 20 anos, para que o clube pudesse realizar seus jogos em um estádio.

Durante muito tempo o time da Caldense teve que migrar para diversos lugares para instalar a sua sede. A sede inicial e provisória do clube foi a Photographia Selecta, em 1925, e em seguida, vários outros endereços: Palacete Cobra, na praça Pedro Sanches(de 1938 a 1942), no Polietema (de 1942 a 1959), o edifício Imperial (de 1959 a 1962) e, finalmente, em 1962 junto ao estádio Christiano Osório, a sede da Caldense se firmou.

Entretanto, a Caldense lutou para ter seu próprio estádio durante décadas e finalmente conseguiu em 1979, quando foi inaugurado o estádio Estádio Municipal Ronaldo Junqueira. O lugar onde era seu antigo campo foi desativado e construído quadras de tênis, de peteca, um parque infantil, e uma nova piscina para atender seus associados.

Ídolo ilustre

Especial Campeonato Mineiro 2020: Caldense, o alviverde de Poços de Caldas
Crédito da foto: Arquivo / Caldense

Um dos maiores jogadores da história do país já jogou pela camisa alviverde, se trata de Walter Casagrande. Ele era atleta da base do Corinthians, mas sem espaço na equipe paulista, o atacante foi emprestado à Caldense aos 17 anos, em 1981. No time de Poços de Caldas, Casagrande disputou o Torneio Esperança e o Campeonato Mineiro daquele ano e foi o artilheiro da equipe na temporada.

Com o alto nível de desempenho feito por Casagrande, o Corinthians o levou de volta à São Paulo para se tornar um dos pilares da equipe nos anos seguintes. O jogador teve um estouro tão grande que foi convocado inúmeras vezes para a Seleção Brasileira, tendo disputado a Copa do Mundo de 1986 com a Amarelinha.

Final polêmica em 2015

Especial Campeonato Mineiro 2020: Caldense, o alviverde de Poços de Caldas
Crédito da foto: Bruno Cantini

No Campeonato Mineiro de 2015, a Caldense fez uma excelente campanha se classificando para a segunda fase da competição na primeira colocação. Após isso, venceu a Tombense por 2 a 0 e se classificou para a final da competição contra o Atlético.

O adversário do Periquito era um time badalado, recém campeão da Copa do Brasil, e era favorito para vencer o jogo. Acabou que o Galo abriu o placar, depois a Caldense empatou e, no final do jogo, o time de BH desempatou a partida com um gol impedido.

Foram muitas reclamações à Federação Mineira de Futebol (FMF), já que, como foi líder da primeira fase, o clube de Poços de Caudas tinha a vantagem de jogar pelo empate para se sagrar campeão. Porém, nada foi feito e a Caldense ficou com o vice-campeonato e o título de campeão do interior.

Destaque para a temporada

Especial Campeonato Mineiro 2020: Caldense, o alviverde de Poços de Caldas
Crédito da foto: Renan Muniz/Caldense

Em seu elenco, o alviverde conta com alguns jogadores com passagens em clubes tradicionais do Brasil e do exterior. Danilo Mariotto, de 24 anos, é atacante e foi revelado pelas categorias de base do Fluminense, além de ter passagens por clubes da Ucrânia, Eslovênia e, como clube mais conhecido, a Portuguesa de São Paulo.

Além de Danilo, o meia Matheus Humberto, de 30 anos, é o jogador com maior bagagem do grupo alviverde. Ele já teve passagens pelo Guarani, Avaí e também pelo futebol sul-coreano e japonês.

Elenco

Confira agora o elenco completo da Caldense para a disputa do Módulo I do Campeonato Mineiro de 2020:

Goleiros: Alyson, Gustavo Fraga e Charles;

Laterais-direito: Filipi Sousa, Gabriel Medeiros;

Laterais-esquerdo: Rafael Rosa, Verrone e Vinícius Fininho,

Zagueiros: Guilherme Martins, Jonathan Costa, Lucas Mufalo, Morais, Henrique e Victor Françoso;

Meio-campistas: Rafael Verrone, Matheus Humberto, Lucas Silva, Daniel, Franklin, Nathan, Luciano Mandi, André Mensalão, Léo Rafael;

Atacantes: João Victor, Luan Costa, Danilo Maritto, Arthur e Viní;

Treinador: Marcus Paulo

A Caldense estreia no Campeonato Mineiro 2020 na quarta-feira (22), às 20h30, contra o América, no estádio Independência.

Leia também: Especial Campeonato Mineiro 2020: Tombense, o campeão nacional de Tombos

Comentários do Facebook

Posts