Estudante da UFOP é suspeito de desviar R$ 500 mil de república e fazer apostas online

por Redação Mais Minas

Por Dener Alano via G1 Minas – A Polícia Civil de Minas Gerais está investigando o desvio de cerca de R$ 500 mil em uma república estudantil de Ouro Preto, na Região Central do estado. O suspeito, um estudante de 25 anos matriculado no curso de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), ocupava o cargo de tesoureiro da Associação República Partenon.

Estudante da UFOP é suspeito de desviar R$ 500 mil de república e fazer apostas online
República Partenon, em Ouro Preto — Foto: República Partenon/ Divulgação

De acordo com os moradores da república, o estudante vivia no local havia seis anos. Como era um dos residentes mais antigos da república, ele foi selecionado para administrar a conta bancária da associação em dezembro de 2021.

Segundo o relato dos moradores, no dia 2 de março, um advogado que representa o suspeito marcou uma reunião.

No encontro, ele disse que o estudante identificou um rombo de R$ 17 mil nas contas da república. Assim, para recuperar esse valor, teria feito investimentos em renda variável e jogos de apostas online, mas não conseguiu recuperar o dinheiro.

Ainda de acordo com os estudantes, as transferências começaram a se intensificar com a chegada do Carnaval. Os alunos que moram no local organizam festas na época, e o suspeito aproveitou o momento para retirar o dinheiro da conta.

O valor que teria sido desviado estava sendo guardado pelos estudantes para a compra de um imóvel próprio. Atualmente, a república privada paga aluguel.

O dinheiro começou a ser arrecadado há mais de 20 anos – desde quando a república foi fundada. Com o valor em caixa, os moradores da Partenon chegaram a assinar um contrato de compra e venda de imóvel.

Em nota, a defesa do suspeito disse ao g1 que ele “está sob tratamento médico, mas à completa disposição das autoridades e dos membros da associação para esclarecer a situação e demonstrar a verdade acerca dos fatos, conforme já repassado em oportunidades pretéritas”.

Quando questionada se o estudante se ele fez transferências de valores para apostas e investimentos em renda variável, a defesa afirmou que vai se “manifestar no momento oportuno”.

ARTIGOS RELACIONADOS