Take a fresh look at your lifestyle.

Filmes nacionais para refletir sobre a Consciência Negra

O Dia Nacional da Consciência Negra é celebrado, no Brasil, em 20 de novembro. A data foi  criada  para coincidir com o dia atribuído à morte de Zumbi dos Palmares em 1965, sendo considerada  feriado em muitas cidades do país  e alguns estados, como Alagoas, Amazonas, Amapá , Mato Grosso, Bahia e  Rio de Janeiro, por exemplo.

A ocasião é dedicada à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira e, para contribuir com a iniciativa, separamos uma lista com excelentes filmes que estimulam a reflexão sobre a situação do negro no Brasil.

Confira!

O Pagador de Promessas (Anselmo Duarte – 1962)

Cena de O Pagador de Promessas. (Foto: Divulgação/ Copyright Filmes sans Frontières)

O filme conta a história de Zé do Burro e sua mulher Rosa, que vivem em uma pequena propriedade no Nordeste.  Certo dia, o burro de estimação de Zé é antigo pro um raio e acaba recorrendo a um terreiro de macumba, onde faz uma promessa a Santa Bárbara para salvar o animal.  Com o restabelecimento do animal, Zé se põe a cumprir a promessa e doa metade de seu sitio e depois começa uma caminhada rumo a Salvador, carregando em suas costas uma enorme cruz de madeira. No entanto, a via crucis de Zé se torna angustiante quando o Padre Olavo se nega-lhe a entrada em sua igreja, por saber que Zé havia feito sua promessa em um terreiro de religião afro.  As questões sobre religiões afro e a imposição do catolicismo são  os aspectos fundamentais tratados no filme.

Negação do Brasil (Joel Zito Araújo – 2001)

O documentário Negação do Brasil conta a  história da telenovela no Brasil, sobretudo, analisando o papel atribuído aos negros, que sempre representam personagens mais estereotipados e negativos.  Joel Zito Araújo, diretor do documentário, apontou as influências das telenovelas nos processos de identidade étnica dos afro-brasileiros e faz um manifesto pela incorporação positiva do negro nas imagens televisivas do país.

Quanto Vale Ou É Por Quilo? (Sergio Bianchi – 2005)

Cena de Quanto Vale ou é Por Quilo? (Foto: Reprodução)

Dirigido por Sergio Bianchi, o filme é uma adaptação livre do conto “Pai contra Mãe”, de Machado de Assis. A produção desenha um painel de duas épocas aparentemente distintas, mas, no fundo, semelhantes na manutenção de uma perversa dinâmica socioeconômica, impulsionada pela violência e pelas diferenças sociais. No século XVIII, os capitães do mato caçavam negros para vende-los aos senhores de terra, com um único objetivo: lucrar.  Nos dias atuais, o chamado Terceiro Setor explora a miséria, preenchendo a ausência do Estado em atividades assistenciais, que também geram lucro.  Com elenco reunido pelo cinema nacional, o filme mostra que o Brasil é uma país em permanente crise de valores.

Besouro (João Daniel Tikhomiroff – 2010)

(Cena de Besouro. Foto: Reprodução)
(Cena de Besouro. Foto: Reprodução)

No interior da  Bahia, na década de 1920, os negros continuavam sendo tratados como escravos, apesar da abolição da escravatura ter ocorrido décadas antes. Entre eles está Manuel ( Aílton Carmo), que quando criança, foi apresentado à capoeira pelo mestre Alípio (Macalé). O mestre ensinou não apenas os golpes da capoeira, mas também valores e virtudes e valores de justiça. A escolha pelo nome Besouro se deu  pela identificação de Manuel com o inseto. Ao crescer, Besouro  recebe a função de defender seu povo,  combatendo a opressão e o preconceito existentes.

Bróder (Jeferson De – 2011)

Cena de Bróder. (Foto: Reprodução)

A história se passa em Capão Redondo, bairro de São Paulo, onde Macu (Caio Blat), Jaiminho (Jonathan Haagensen) e Pibe (Silvio Guindane) construíram uma grande amizade desde a infância, mas seguiram caminhos distintos ao crescer. Jaiminho tornou-se jogador de futebol, alcançando a fama. Pibe vive com Claudia e tem um filho com ela, lutando para pagar as contas de casa. Já Macu, entrou para o mundo do crime e se envolveu com preparativos para um sequestro. Durante uma festa surpresa organizada por dona Sonia (Cássia Kiss), mãe de Macu, os amigos se reencontram e, em meio à alegria pelo reencontro, a sombra do mundo do crime aparece e ameaça a amizade do trio.

Na Quebrada (Fernando Grostein Andrade – 2014)

(Cena de Na Quebrada. Foto: Reprodução)

Baseado em fatos reais, o filme conta a história de um grupo de jovens da periferia de São Paulo como Júnior, talentoso no conserto de televisões; Zeca, que testemunhou uma chacina, Joana, uma garota que sonha com a mãe desconhecida e Gerson, cujo pai está na prisão desde que nasceu.  Entre suas histórias, os jovens descobrem uma maneira de expressas suas emoções: o cinema.  A obra mostra como jovens de periferias brasileiras, vivem em meio aos desafios, dificuldades, as leis do tráfico e seus sonhos.

Close