Galo XXI: qual é o maior atacante do Atlético no século?

Um dos times mais vitoriosos da América no século, o Atlético foi e ainda é casa de grandes jogadores e times históricos, que marcaram época no alvinegro mineiro. Conhecido pelo futebol ofensivo, força da torcida e raça em campo, o Galo é um dos adversários mais temíveis no país.

E pensando na gama de grandes nome que passaram pelo clube, pergunto a você, torcedor, se já parou para pensar em quais são os maiores jogadores do Atlético no século XXI? Bom, vide o número craques que vestiram a camisa alvinegra, essa pergunta não é a mais fácil de responder. Mas, com sua ajuda, nós do Mais Minas tentaremos desvendá-la.

Nos próximos dias realizaremos enquetes com os maiores e melhores jogadores do Atlético em cada posição, falando um pouco de suas trajetórias com a camisa alvinegra e você, torcedor, irá votar em seus favoritos. Ao final das matérias, que serão divididas em goleiros, laterais-direitos, zagueiros, laterais-esquerdos, volantes, meias, atacantes e técnicos, iremos analisar os mais votados e montar a seleção do Galo no século XXI.

E após começar com as eleições de Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Réver e Douglas Santos na defesa, além da dupla Pierre e Leandro Donizete como volantes, e da votação ainda em aberto do maior meia, iremos decidir agora o maior atacante do Atlético no século XXI. Como são duas vagas na seleção, os dois atletas mais votados serão os escolhidos. Vamos aos candidatos:

Euller (1995-1997 e 2005)

Mineiro de Felixlândia, Euller teve duas passagens pelo Atlético, a primeira nos anos 1990 e a segunda já no século atual. O “Filho do Vento” se destacou bastante no clube. Na primeira passagem foi campeão mineiro, em 1995, e na segunda um dos principais artilheiros do time no ano. O jogador tem 62 gols marcados em 167 jogos disputados com a camisa alvinegra.

Euller Galo
Euller, defendendo o Atlético em 1997 – Crédito da foto: Elisandra Amâncio/Arquivo Pessoal/Terceiro Tempo

Marques (1997-2002, 2005 e 2008-2010)

Ídolo do clube, Marques teve três passagem pelo Atlético como jogador. A primeira, e de maior sucesso, se iniciou ainda no século passado. O jogador formou grande dupla de ataque com Guilherme e levou o time a conquista da Copa Conmebol de 1997, além de dois estaduais, em 1999 e 2000.

Seu bom desempenho o rendeu diversos prêmios individuais, como a Bola de Prata, em 1999 e 2001, e convocações para a Seleção Brasileira.

Sua segunda passagem pelo clube foi rápida, no segundo semestre da campanha que rebaixou o Galo para a segunda divisão do Brasileirão, em 2005. O jogador não ficou para a disputa da segunda divisão, mas voltaria em 2008, já nos momento finais da sua carreira. No período foram poucas atuações e gols, e o atacante se aposentou em 2010, após conquistar o estadual daquele ano, tendo deixado seu nome marcado na história atleticana.

Posteriormente, Marques veio a trabalhar como diretor do clube, mas foi dispensado após críticas dos torcedores e imprensa ao seu desempenho. Com 130 gols pelo Galo, Marques é o nono maior artilheiro da história do clube.

Guilherme (1999-2002)

Dupla de Marques no ataque do Atlético, Guilherme é mais um que teve grande desempenho pelo clube alvinegro, se tornando o sétimo maior artilheiro da história do clube com 139 gols.

Seu desempenho no Galo o rendeu, inclusive, convocações para a Seleção Brasileira. Pelo Atlético, o jogador conquistou um estadual, em 2000. Posteriormente, o atacante viria a despertar a raiva de parte da torcida atleticana ao assinar com o rival Cruzeiro e fazer provocações ao ex-clube.

Galo XXI: qual é o maior atacante do Atlético no século?
Guilherme foi o principal goleador do Atlético durante sua passagem – Crédito da foto: Galo Digital/Arquivo/Reprodução

Diego Tardelli (2009-2011, 2013-2014 e 2020)

Um dos grandes ídolos da história do Atlético, Diego Tardelli é sinônimo de “Galo”. O jogador chegou ao clube mineiro em 2009 e logo mostrou um incrível faro de gols, se tornando um dos grandes destaques do futebol brasileiro naquele ano, sendo o jogador com mais bolas na rede do país, tendo balançado as redes 42 vezes na temporada.

Seu estilo provocador e grandes desempenhos contra o rival Cruzeiro, o tornaram um ídolo atleticano em pouco tempo, e sua sina de goleador seguiu nos anos seguintes, até ele ser negociado por cifras milionárias com o futebol russo.

Após dois anos fora do país, em 2013 o jogador retornou ao Galo, mais uma vez apresentando grande futebol. Muito completo, o jogador passou a atuar flutuando pelo ataque, misturando as funções de armador, ponta e atacante, sendo o grande diferencial tático naquela equipe que venceria o estadual e a Copa Libertadores.

Em 2014, Diego Tardelli seguiu sendo muito importante para o Atlético, ajudando a equipe a faturar a Recopa Sul-Americana e a Copa do Brasil, tendo inclusive marcado o gol do título sobre o rival Cruzeiro. Após isso, em 2015 foi negociado com o futebol chinês.

Tardelli ainda voltaria a fazer a alegria dos atleticanos ao retornar ao Galo no início de 2020, dando início a sua terceira passagem pelo clube.

Galo XXI: qual é o maior atacante do Atlético no século?
Diego Tardelli foi recebido com muita festa em seu retorno ao Galo, no início da atual temporada – Crédito da foto: Bruno Cantini/Agência Galo/Atlético

Jô (2012-2015)

Um dos grandes nomes da história do Atlético, Jô foi o grande centroavante do time no período mais vitorioso de sua história. Mesmo bastante alto, o jogador se destacava pela técnica e mobilidade em campo, além do potente chute na perna esquerda.

O atacante teve papel de destaque nas conquistas do Atlético em 2013, tendo marcado nas finais do Campeonato Mineiro e da Copa Libertadores. Falando na Libertadores, Jô foi o artilheiro isolado da competição com sete gols, sendo um dos grandes nomes da equipe na campanha.

Seu grande desempenho o rendeu convocações para a Seleção Brasileira, incluindo na delegação que disputou a Copa do Mundo de 2014. Após a Copa, Jô viveu um mau momento, com atos de indisciplina e ficando mais de um ano sem marcar. Mas quando reencontrou as redes, foi em grande estilo, com o gol que deu o título mineiro de 2015 ao Galo.

Jô deixou o Atlético em 2015 tendo conquistado dois Campeonatos Mineiros, em 2013 e 2015, uma Copa Libertadores, em 2013, além de uma Recopa Sul-Americana e uma Copa do Brasil, ambos em 2014.

Lucas Pratto (2015-2016)

Maior artilheiro estrangeiro do Atlético ao lado de Cazares, o argentino Lucas Pratto é mais um que deixou saudade no torcedor alvinegro. Muito raçudo e voluntarioso, o jogador caiu nas graças da torcida, visto que se assemelhava a um torcedor dentro de campo.

Com muitos gols decisivos, o jogador teve ótimo desempenho pelo Galo, o que resultou em sua venda ao São Paulo no início de 2017. O jogador deixou o clube tendo conquistado o Campeonato Mineiro de 2015.

[mpp id=”16″]

Caso não consiga votar, clique aqui.

Vote também: Qual é o maior meia do Atlético no século?

Comentários estão fechados.