Ultimate magazine theme for WordPress.

Igreja da Pampulha reabre suas portas totalmente restaurada

Esta sexta-feira, dia 04 de outubro será de festa em Belo Horizonte (MG). Com investimentos de R$ 1,07 milhão do Governo Federal, por meio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a Igreja de São Francisco de Assis, no Conjunto Moderno da Pampulha, reabre suas portas, pronta para acolher batizados, casamentos e missas. Primeira no Brasil construída nos padrões da arquitetura moderna, a Igrejinha da Pampulha, como é popularmente conhecida, foi projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer.

A cerimônia de entrega será em uma data especial para os católicos, no dia de São Francisco de Assis, padroeiro dos animais e da natureza e patrono da igreja. O evento contará com a presença da presidente do Iphan, Kátia Bogéa, do diretor do Departamento de Projetos Especiais (DPE/Iphan), Robson Almeida, do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, do arcebispo de Belo Horizonte, Dom Walmor e demais autoridades locais.

Crédito da foto: divulgação/Iphan

Os procedimentos de restauração aplicados na Igreja de São Francisco de Assis incluíram revitalização de piso, revestimentos, pinturas, impermeabilização e recuperação de elementos danificados. Houve ainda a remoção do forro da nave, instalação de telhas e calhas, revisão da instalação elétrica e reforma dos sanitários. A obra foi executada pela Prefeitura Municipal de Belo Horizonte e pelo Centro de Conservação e Restauração de Bens Culturais da Universidade Federal de Minas Gerais.

A reforma da igrejinha da Pampulha era parte dos compromissos firmados com a Organização das Nações Unidades para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco), com o objetivo de manter o título de Patrimônio Cultural da Humanidade, que foi concedido ao Conjunto Arquitetônico da Pampulha em 2016.

Fechada desde dezembro de 2017, as obras só começaram em junho de 2018 e com previsão para terminarem em junho desde ano. Mas, após novas infiltrações embaixo do forro, foi preciso de o prazo se estendesse.

Joia modernista feita por muitas mãos

Construída entre 1942 e 1943, o imóvel só foi entregue ao culto religioso mais de 15 anos depois, no final da década de 1950. Isso ocorreu devido à recusa de Dom Cabral, primeiro arcebispo de Belo Horizonte, em consagrar a Igreja enquanto casa de Deus, em razão de suas formas modernas, que contrariavam os padrões comumente utilizados em templos religiosos da época.

Projetada por Oscar Niemeyer, a Igreja é reconhecida como Patrimônio Cultural Brasileiro desde 1947. Ela está inserida no Conjunto Moderno da Pampulha, reconhecido como Patrimônio Mundial desde 2016. A convite do arquiteto modernista, importantes artistas colaboraram com a construção do templo: Cândido Portinari, nos painéis e pinturas; Alfredo Ceschiatti, nas esculturas; Paulo Werneck, nos painéis de arte abstrata em pastilhas e Roberto Burle Marx, no paisagismo do entorno.

Investimentos em Minas Gerais

A intervenção na Igreja de São Francisco de Assis é parte de uma série de ações que vêm sendo feitas pelo Iphan em Minas Gerais. Sete obras já foram entregues, entre elas a restauração do Teatro Municipal de Sabará, no mês passado. Outras nove estão em execução, somando investimentos de aproximadamente R$ 40 milhões.

Serviço:

Entrega da obra de restauração da Igreja São Francisco de Assis, em Belo Horizonte (MG)

Data: 04 de outubro de 2019, às 9h30

Local: Avenida Otacílio Negrão de Lima s/n, Pampulha.

Igreja da Pampulha recebe o título de Patrimônio Mundial da Unesco

Em 2016, o Conjunto Arquitetônico da Pampulha se tornou um Patrimônio Cultural da Humanidade, em decisão da Unesco. O Ministro da Cultura na época, Marcelo Calero, comemorou em seu Twitter, confirmando a informação: “Viva! Pampulha Patrimônio Mundial!”

Em Minas, os centros históricos de Ouro Preto e Diamantina, e o Santuário de Bom Jesus de Matozinhos, em Congonhas, já haviam recebido esse título.

Para manter o título, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), teria que fazer algumas reformas, como retirar a guarita da Casa do Baile, reestruturar as praças Dino Barbieri e Dalva Simão, demolir o prédio anexo do Iate Tênis Clube e despoluir a Lagoa da Pampulha. O prazo dado pela Unesco foi de três anos.

A Igreja São Francisco de Assis foi desenhada pelo aclamado arquiteto Niemeyer, que dizia: “Nem a linha reta, dura, inflexível, criada pelo homem. O que me atrai é a curva livre e sensual, a curva que encontro nas montanhas do meu país, no curso sinuoso dos seus rios, nas ondas do mar, no corpo da mulher preferida. De curvas é feito todo o universo, o universo curvo de Einstein”.

Comentários do Facebook