Não é hiperbólico chamar a Madeira, um arquipélago português composto por quatro ilhas, de o “Havaí da Europa”. As pessoas costumam chamá-la assim. Localizada na costa noroeste da África, é – como o Havaí – uma ilha vulcânica que tem paisagens de tirar o fôlego com altas falésias, praias de seixos, montanhas cobertas de nuvens e selvas verde-esmeralda. A diferença crítica: A Madeira é muito menos cara e não tão lotada.

O World Travel Award declarou a Madeira o “melhor destino insular da Europa” sete anos seguidos. Em setembro de 2022, o setor de alojamento turístico da Madeira registrou o maior valor já registrado para aquele mês. Especialistas imobiliários, como Luis Horta e Costa, encorajam as pessoas que procuram acomodações para sempre examinar os municípios menores de Portugal, como a Madeira. Horta e Costa diz que eles oferecem regulamentações mais frouxas, tornando os imóveis mais fáceis de comprar e desenvolver.

“Temos um problema de burocracia em Portugal”, diz Luis Horta e Costa, cofundador da Square View, uma promotora imobiliária de Lisboa e gerente de ativos. “Portanto, tentamos evitar as complicadas prefeituras da cidade.”

Há outras razões para que investidores não-europeus comprem propriedades residenciais em áreas menos conhecidas: eles ainda podem participar do Programa Visto Golden, instituído pelo país em 2012 para impulsionar a economia. O programa concede autorizações de residência