Vem Pimentel!

O ano novo para os servidores do estado de Minas Gerais não começou como se esperava. Após um 2017 em que o governo estadual se mostrou comprometido com um projeto soberano de nação, inclusive se contrapondo a ideia de país subalterno, liderado por Temer e seus lacaios, no fim de dezembro, Fernando Pimentel decepcionou quase todo o funcionalismo público.

De maneira inexplicável não pagou o 13° salário dos professores. Pior do que isto, tudo indica que foi usada parte da verba exclusiva da educação (FUNDEB) para quitar parte do décimo terceiro salário da polícia e da saúde, algo inconstitucional e totalmente sem nexo!

Após um primeiro ato liderado pelo Sindicato Único dos Trabalhadores da Educação (SINDUTE) no dia 6 de Dezembro na cidade administrativa onde até mesmo tiveram que ser acorrentadas as saídas dos prédios, o governo anunciou a escala de pagamento salarial: 4 parcelas a partir do fim de Janeiro.

Sinceramente parece piada que a classe mais importante de todas as categorias trabalhistas seja tratada com tamanho descaso, afinal, não existe médico, advogado ou presidente que não tenha passado pelas mãos de um professor. Por saber que Pimentel, também professor (só que universitário) parece não se lembrar de seu passado, que mais uma vez o SINDUTE fez questão de relembrá-lo.

Assim, no último dia 27 de dezembro, mais de 3000 professores, cantineiros, auxiliares de limpeza e secretários de escola ocuparam as ruas do centro de Belo Horizonte deixando claro o recado ao governo: se não pagar o valor integral do décimo terceiro salário do funcionalismo público, o ano letivo de 2018 não se iniciará.

A caravana da região dos Inconfidentes, que contou com professores de Mariana, Ouro Preto e Itabirito se fez presente mostrando que em nossa região se respira liberdade, portanto não aceitaremos calado tamanho absurdo por parte do executivo estadual.

Cabe comentar, novamente, que esta ação de não pagar o 13° foi totalmente inesperada por parte de Pimentel, pois até então, a tônica de seu governo havia sido o diálogo e respeito com a categoria, coisa que não se via nos tempos de Aécio-Anastasia, onde os professores eram tratados com cacetetes e balas de borracha.

Assim, por ainda acreditarmos que esta ação desastrosa foi apenas um escorregão e não uma declaração de guerra contra a educação, que conclamamos o governo estadual a vir para o diálogo, a vir conversar com o professorado e resolver esta pendenga, pague o que deve ao servidores da educação que o ano começará da melhor maneira possível.

Assim, conclamamos: Vem Pimentel! Vem pagar o décimo terceiro e dialogar com os professores! Não se esqueça de que quem derrubou os tucanos em Minas Gerais foi o funcionalismo público, por não acharmos que você é semelhante aos neoliberais é que queremos resolver da melhor maneira possível.

Pense nisso!

Coluna do Peixe - Mais Minas

Leia Também:

* Esse texto é um artigo de opinião do colunista e pode não representar a posição do portal Mais Minas sobre o assunto.