Kalil desconsidera possibilidade de carnaval em Belo Horizonte em 2021

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre kalil (PSD), declarou, em entrevista ao site BHAZ, nesta quarta-feira (1), que considera improvável a realização do carnaval na capital mineira em 2021, chamando de “birutice” apenas pensar nessa possibilidade. Lembrando que faltam sete meses até a época de folia. A declaração do chefe do Executivo Municipal, claro, é decorrente da pandemia do novo coronavírus.

“Ah, sim. Não sou astrólogo não, né?! Mas acho muito difícil fazer um Carnaval com uma pandemia que deve acabar em setembro, outubro, novembro. É uma birutice”, afirmou Kalil, em entrevista ao site BHAZ.

De acordo com Kalil, os gastos não são o ponto principal da questão, já que a Prefeitura de Belo Horizonte afirma ter empenhados poucos recursos públicos para a realização da festa deste ano, que reuniu cerca de 4,5 milhões de foliões na capital mineira.

“O orçamento foi de R$ 6 milhões em verba direta, mais R$ 8,3 milhões em planilhas de estruturas e serviços, captado por meio de edital de patrocínio. Vale ressaltar que a contratação de músicos, subvenção de blocos e escolas de samba e toda a estrutura dos palcos espalhados pelas regionais da cidade durante o evento, assim como todo o orçamento da Belotur, foi proveniente de investimento privado”, esclareceu a Prefeitura de Belo Horizonte.

Lembrando que 2020 é um ano eleitoral e que Alexandre Kalil irá se candidatar para uma reeleição, entretanto pode não ser o prefeito de Belo Horizonte a partir do ano que vem, caso não vença as eleições.

Em Minas Gerais, 710 municípios possuem casos confirmados de coronavírus, sendo Belo Horizonte a cidade mais afetada, com 5.771 casos e 144 óbitos, o que é esperado, visto que é a maior do estado. No total, em terras mineiras, são 47.584 casos confirmados. Estão em acompanhamento 18.665 casos e são 27.912 casos recuperados. Até o momento, foram confirmados 1.007 óbitos.

Comentários