Lula: “Que ninguém nunca mais ouse desmontar a prática cultural no Brasil”

0 comment

Em encontro com artistas de diferentes segmentos na noite desta quinta-feira (23/3) no Theatro Municipal, no Rio de Janeiro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que a cultura voltou de verdade ao âmbito das políticas públicas, como patrimônio que ninguém mais pode ousar desmontar.

“Nossa cultura é diversa e representativa. Precisamos e vamos colocá-la no lugar de onde nunca deveria ter saído: da boca do mundo, fonte de inspiração e trabalho no fazer artístico cultural do planeta. O Brasil está no mundo e o mundo em nós, nessa confluência de encontros que só as artes permitem, porque a cultura é território sem fronteira”

Margareth Menezes, ministra da Cultura

Lula: “Que ninguém nunca mais ouse desmontar a prática cultural no Brasil”
Lula - Foto: Ricardo Stuckert

“É fundamental que possamos novamente respirar e reafirmar: esse governo enxerga o setor cultural como parceiro da criação de cultura e da criação de políticas públicas”, disse o presidente, ao assinar um decreto com novas diretrizes de fomento ao setor, ao lado da ministra da Cultura, Margareth Menezes, do secretário de Economia Criativa e Fomento à Cultura, Henilton Menezes, e do advogado-geral da União, Jorge Messias.

O novo texto se pauta por investimentos em todas as regiões do país, atenção à diversidade, democratização do acesso, transparência e desburocratização. “O decreto confere clareza às responsabilidades da administração pública e do agente cultural, com simplificação de instrumentos, dando segurança processual a todos. Queremos impulsionar nossa potência criativa e não criminalizá-la”, afirmou Margareth Menezes. Ela anunciou o investimento de R$ 1 bilhão para o setor.

A ministra destacou o fato de o governo restabelecer a participação social na gestão da Lei Rouanet, com a devolução à Comissão Nacional de Incentivo à Cultura da gestão dos incentivos fiscais com representação de todas as regiões e segmentos.

“Essa participação é uma das marcas da política inaugurada em 2003, aberta e feita de mãos dadas com os que pensam e fazem cultura em toda a sua diversidade de linguagem e estética, com seriedade e responsabilidade”.

Margareth Menezes citou ainda a importância das leis Aldir Blanc e Paulo Gustavo para dar escala de investimento ao setor. A intenção é, de forma compartilhada com estados e municípios e participação social, executar as leis como partes essenciais do sistema nacional de cultura.

“Nossa cultura é diversa e representativa. Precisamos e vamos colocá-la no lugar de onde nunca deveria ter saído: da boca do mundo, fonte de inspiração e trabalho no fazer artístico cultural do planeta. O Brasil está no mundo e o mundo em nós, nessa confluência de encontros que só as artes permitem, porque a cultura é território sem fronteira”, definiu a ministra.

Presentes na cerimônia, a presidenta do Banco do Brasil, Tarciana Medeiros, e o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, destacaram a importância dos patrocínios em cultura para inclusão e desenvolvimento do país. Eles reforçaram o compromisso das empresas de voltarem a fazê-los de forma significativa.

Na cerimônia, com apresentação ao vivo de Chico César e de outros artistas, representantes de diferentes manifestações culturais celebraram a volta do ministério e dos investimentos no setor.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República

Comentários Facebook

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. aceitar LER MAIS