O maior vulcão ativo do mundo, o Mauna Loa, no Havaí, entrou em erupção pela primeira vez em quase 40 anos.

O fluxo de lava está contido principalmente no cume, mas os moradores foram colocados em alerta e foram avisados ​​​​anteriormente sobre o risco de cinzas caindo.

O Serviço Geológico dos EUA (USGS) disse que a situação pode mudar rapidamente.

O nível de alerta do vulcão também foi atualizado de “aviso” para “aviso” – a classificação mais alta.

Nenhuma ordem de evacuação foi emitida e é improvável que áreas povoadas sejam afetadas nesta fase, disseram autoridades de emergência.

Mauna Loa, localizado dentro do Parque Nacional dos Vulcões do Havaí, cobre metade da Ilha Grande do estado dos EUA. O vulcão se eleva 13.679 pés (4.169 m) acima do nível do mar e abrange uma área de mais de 2.000 milhas quadradas (5.179 quilômetros quadrados).

Ele entrou em erupção às 23h30, horário local, no domingo (09h30 GMT de segunda-feira) em Moku’āweoweo, a caldeira do cume do vulcão. As caldeiras são cavidades que se formam abaixo do cume no final de uma erupção.

Ele seguiu uma série de alertas de que uma erupção era possível após uma série de terremotos recentes na região, incluindo mais de uma dúzia de tremores relatados no domingo.

Um aviso de queda de cinzas – que pode contaminar o abastecimento de água, matar a vegetação e irritar os pulmões – estava em vigor na área circundante durante a noite, mas já foi suspenso.

“Com base em eventos anteriores, os estágios iniciais de uma erupção do Mauna Loa podem ser muito dinâmicos e a localização e o avanço dos fluxos de lava podem mudar rapidamente”, disse o USGS.

Se a erupção migrar para além das paredes da caldeira do cume, os fluxos de lava podem “descer rapidamente”, acrescentou.