Mais 75 famílias de Antônio Pereira, distrito de Ouro Preto, são realocadas pela Vale

Na última quinta-feira (13), a mineradora Vale anunciou que iniciaria o processo de realocação de cerca de 75 famílias de Antônio Pereira e Vila Antônio Pereira, ambas localidades a 40 quilômetros da sede de Ouro Preto, seguindo estudos mais conservadores, que passaram a considerar hipótese de 100% do deslocamento de rejeitos em caso de ruptura da barragem Doutor, da Mina de Timbopeba, do Complexo Mariana.

Segundo a Vale, as família serão realocadas seguindo a orientação da Defesa Civil de Minas Gerais, respeitando protocolos de saúde e segurança recomendados durante a pandemia do COVID-19.

Durante 2020, outras famílias e animais já foram removidas das suas residências e habitats no distrito de Antônio Pereira. No dia 12 de fevereiro, o prefeito de Ouro Preto Júlio Pimenta anunciou a retirada de diversas famílias de suas casas do distrito de Antônio Pereira. A ação, de acordo com Júlio, era um plano que já existia desde o ano de 2019, em decorrência do transbordamento do Rio Tabuleiro, que ano passado invadiu casas, além de estarem na rota da lama da barragem do Doutor, em caso de rompimento.

Em abril deste ano, a multinacional foi obrigada a retirar os animais da área da barragem, cumprindo assim o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado com a Coordenadoria Estadual de Defesa da Fauna (Cedef), do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), em 2019.

Apesar da decisão de reconduzir as famílias, a Vale ressaltou que “não houve alteração nos dados técnicos das referidas estruturas e que as últimas inspeções não detectaram anomalias adicionais”.

Veja a seguir íntegra da nota da Vale, publicada no último dia 13 em seu site institucional:

Vale informa sobre ampliação da ZAS da barragem Doutor

A Vale informa que aumentou os limites da Zona de Autossalvamento (ZAS) da barragem de Doutor, da Mina de Timbopeba, no Complexo de Mariana, com base em estudos mais conservadores, que passaram a considerar hipótese de 100% do carreamento de rejeitos da barragem Doutor. A ampliação da ZAS é resultado das disposições do Termo de Compromisso firmado entre o Estado de Minas Gerais, o Ministério Público de Minas Gerais e a Vale, que definiu novos parâmetros para atualização da mancha de inundação.

A partir de hoje, cerca de 75 famílias, residentes nas comunidades de Antônio Pereira e Vila Antônio Pereira, a 40 quilômetros da sede de Ouro Preto (MG), serão realocadas seguindo a orientação da Defesa Civil de Minas Gerais, respeitando protocolos de saúde e segurança recomendados durante a pandemia do COVID-19. As famílias receberão assistência integral da Vale, com hospedagem, atendimento psicossocial, alimentação, entre outros. De fevereiro de 2020 até a data de hoje, 73 famílias já haviam sido realocadas quando a barragem de Doutor teve elevação para nível 2 de emergência.

A Vale informa, ainda, que não houve alteração nos dados técnicos das referidas estruturas e que as últimas inspeções não detectaram anomalias adicionais. As barragens do Complexo de Mariana são monitoradas continuamente pelo Centro de Monitoramento Geotécnico da Vale.

Comentários