Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 15% da população mundial entre 15 e 29 anos sofrem de transtornos como depressão e ansiedade, sendo essa a segunda principal causa de morte entre essa população. Em Belo Horizonte, uma pesquisa realizada pela Fundação CDL-BH, com 510 jovens entre 15 e 21 anos,  revelou que 50,4% dos entrevistados consideram que a saúde mental está regular ou ruim. Já 38,2% dos respondentes disseram estar em frequente estado de tristeza e/ou desânimo. Mais da metade dos jovens ouvidos (52,5%) afirmou que, no último mês, sentiram-se exaustos e/ou desanimados. A pesquisa foi realizada no mês de agosto e os participantes integram um grupo geracional entre 15 e 24 anos. 

“Identificamos que esses jovens, apesar da boa convivência com os colegas de escola e de trabalho, relatam que a saúde mental está fragilizada. Essa é uma geração que vive a velocidade das informações e acontecimentos de forma muito intensa e constante. Além das próprias cobranças para se encaixar em grupos sociais. Tudo isso afeta as emoções e sentimentos”, analisa o presidente da Fundação CDL-BH, Vilson Mayrink. 

Para auxiliar os jovens na recuperação e no fomento à qualidade da saúde mental, a Fundação CDL-BH tem promovido uma série de ações ao longo do mês de setembro, período de prevenção ao suicídio e valorização da vida. Entre os dias 19 e 22, os jovens aprendizes participaram de uma série de palestras orientativas com o Projeto HELP, uma iniciativa de atuação nacional e internacional que atua com a prevenção de problemas de ordem psicológica e emocional, propondo-se a ajudar pessoas a superar seus traumas, medos, e vencer a depressão, automutilação, síndrome do pânico, transtornos de ansiedade, suicídio e diversas outras condições.

Distribuindo palavras e apoio

Encerrando as atividades de promoção à saúde mental, nesta quinta-feira, 28, os jovens aprendizes da Fundação CDL-BH irão compartilhar com a população de Belo Horizonte os aprendizados adquiridos sobre o tema ao longo do mês. Os jovens irão distribuir bilhetes com mensagens motivacionais escritas por eles na Praça da Liberdade em dois horários, às 10h e às 16 horas.  

“O objetivo é que esses jovens compartilhem palavras de carinho e dicas de cuidado com a saúde mental. Infelizmente grande parte da população não tem acesso a essas ferramentas de atenção, por isso, queremos que eles possam dividir com as outras pessoas, e também com suas famílias o que aprenderam neste período”, finaliza o presidente da Fundação CDL-BH.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Fundação CDL-BH

COMENTÁRIOS
Share.

Perfil publicador de releases e guest posts, sem autoria própria. Consulte a fonte ao final das matérias/artigos.