O que você procura?


Barragem da Vale do Complexo Mariana, inativa desde 1998, entra no nível 2 emergência

Rodolpho Bohrer 29 de setembro de 2020 às 16:57
Tempo de leitura
3 min
FOTO: REUTERS/DENIS BALIBOUSE
FOTO: REUTERS/DENIS BALIBOUSE

Nesta terça-feira (29), a Vale publicou um comunicado informando sobre mudanças referentes na Barragem Xingu, da mina Alegria, localizada no Complexo Mariana. Após estudos geotécnicos que reclassificaram a estrutura, foi acionado pela mineradora o nível 2 de emergência do seu Plano de Ação de Emergência de Barragem de Mineração (PAEBM).

Segundo a Vale, a estrutura, que até o momento era considerada como empilhamento drenado, foi reclassificada para barragem a montante. A mudança já foi reportada aos órgãos reguladores.

A mineradora também informou que a Zona de Autossalvamento (ZAS) da Barragem Xingu está localizada em área interna da Vale e, por isso, todas as atividades até então realizadas nesse local foram direcionadas para outra unidade.

LEIA TAMBÉM:  Alunos da escola de Monsenhor Horta testam positivo para Covid-19, em Mariana

Confira a íntegra do comunicado:

Vale informa sobre a barragem Xingu do Complexo Mariana

Estrutura interna localizada na Mina Alegria foi reclassificada conforme legislação vigente e acionado o nível 2 de emergência do PAEBM

Belo Horizonte, 29 de setembro de 2020 – A Vale informa que a estrutura Xingu, localizada na Mina Alegria, no Município de Mariana-MG, que até o momento era considerada como empilhamento drenado, com a recente evolução de estudos geotécnicos, foi reclassificada para barragem a montante. A mudança já foi reportada aos órgãos reguladores. 

Com a Resolução nº 13/2019 da Agência Nacional de Mineração (ANM), Xingu passou a atender as mesmas obrigações normativas das barragens alteadas pelo método a montante. Desde então, a Vale procede com todos os critérios definidos pela norma para o monitoramento e controle desse tipo de estrutura. 

LEIA TAMBÉM:  Iron Biker Brasil será realizado em Mariana (MG) nos dias 13 e 14 de novembro

Nesse contexto de evolução do conhecimento da estrutura, a barragem teve o nível 2 de emergência do seu Plano de Ação de Emergência de Barragem de Mineração (PAEBM) declarado nesta terça-feira, 29.

Essa decisão é resultado de estudos geotécnicos conduzidos pela Vale junto com empresa especializada e, apesar de não terem sido identificadas alterações físicas na estrutura, optou-se pela elevação de nível até que novas investigações sejam realizadas. 

A Zona de Autossalvamento (ZAS) da Barragem Xingu está localizada em área interna da Vale e, por isso, todas as atividades até então realizadas nesse local foram direcionadas para outra unidade. A Barragem Xingu teve a disposição de rejeitos encerrada em 1998.

LEIA TAMBÉM:  Torneio de Peteca atrai público para Praça da Sé, em Mariana-MG

A estrutura é monitorada e inspecionada diariamente por equipe técnica especializada e será descaracterizada de acordo com as normas vigentes.

Última atualização em 13 de novembro de 2020 às 04:38