O que você procura?


Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item

Samarco atinge 26% da produção que tinha antes do desastre em Mariana

Com a retomada das operações, atualmente a Samarco emprega 1.450 pessoas, além de gerar 7 mil empregos indiretos em suas unidades de Minas Gerais e do Espírito Santo.

Rodolpho Bohrer 20 de novembro de 2021 às 10:53
Tempo de leitura
2 min
Cava Alegria Sul - Foto: Otávio Honorato/Divulgação Samarco
Cava Alegria Sul - Foto: Otávio Honorato/Divulgação Samarco

Após cinco anos de inatividade por causa da tragédia do rompimento da barragem do Fundão, em Mariana, em nove após o retorno das operações, a Samarco já atingiu 26% do nível de produção que tinha antes do desastre, ocorrido em 2015. A informação é do Dário do Comércio, jornal especializado em economia.

De acordo com a publicação, até setembro de 2021, a mineradora produziu 5,8 milhões de toneladas de pelotas de minério de ferro. Em 2015, no mesmo período, foram produzidas 21,4 milhões de toneladas. A expectativa da Samarco é alcançar 8 milhões de toneladas no fechamento de 2021.

Desta vez, as atividades da mineradora são mais seguras. Após a tragédia que tirou a vida de 19 pessoas e causou diversos impactos ambientais, a empresa descartou o uso de barragens a montante e agora opta pelo sistema de filtragem, que permite desaguar o rejeito arenoso, que representa 80% do total, para posterior empilhamento a seco. Os demais 20%, que correspondem à lama, são contidos em cava, um espaço rochoso e confinado, resultante da lavra do minério.


Sistema de filtragem de rejeitos: A partir do concentrador, saem dois tipos de rejeitos, além do minério e ferro que é encaminhado para o porto do Espírito Santo – Foto: Otávio Honorato/Divulgação

Com a retomada das operações, atualmente a Samarco emprega 1.450 pessoas, além de gerar 7 mil empregos indiretos em suas unidades de Minas Gerais e do Espírito Santo.

Confira aqui a íntegra da notícia.

ERRATA: O volume de produção atingido pela Samarco foi de 26%, e não de 54%, como informando anteriormente pelo Diário do Comércio e posteriormente pelo Mais Minas.

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.

Última atualização em 23 de novembro de 2021 às 09:43