Morre o cantor e compositor Moraes Moreira, aos 72 anos, no Rio de Janeiro

O cantor e compositor Antônio Carlos Moraes Pires, mais conhecido como Moraes Moreira, morreu no início da manhã desta segunda-feira (13), aos 72 anos, no Rio de Janeiro. Segundo informações do portal de notícias G1, o artista morreu por volta das 06h, após sofrer um infarto agudo do miocárdio.

O corpo de Moraes Moreira foi encontrado esta manhã no apartamento onde ele morava, no bairro da Gávea, no Rio de Janeiro, pela sua empregada, quando ela chegou para trabalhar. O artista morava sozinho.

Nascido em Ituaçu, na Bahia, Moraes Moreira começou a carreira tocando sanfona em festas de São João. Quando mais tarde, aprendeu a tocar violão. Aos 19 anos, já morando em Salvador, ele conheceu o cantor e compositor Tom Zé, entre outros.

Entre os anos de 1969 e 1979, Moraes Moreira integrou o conjunto musical “Novos Baianos”, ao lado de Baby do Brasil, Pepeu Gomes, Paulinho Boca de Cantor, Dadi e Luiz Galvão. Em 1975, Moraes começou a seguir carreira solo.

O álbum “Acabou Chorare”, segundo do grupo Novos Baianos e lançado em 1972, foi considerado pela revista Roling Stone Brasil um dos 100 melhores álbuns da história da música brasileira.

Durante esse período de quarentena, o cantor chegou a publicar em sua página no Facebook que estava cumprindo o isolamento e “escrevendo sem parar”:

“Oi, pessoal. Estou aqui na Gávea entre minha casa e escritório, que ficam próximos, cumprindo minha quarentena, tocando e escrevendo sem parar. Este cordel nasceu na madrugada do dia 17. Envio para apreciação de vocês. Boa sorte”, escreveu.

Essa publicação foi feita no dia 18 de março, onde ele compartilhou a composição inédita “Quarentena”. Dez dias depois, no dia 28, ele compartilhou uma outra composição com o título de “Sombra”. Esta foram suas últimas publicações na rede social.

Relembre a canção “Preta Pretinha”, escrita por Luiz Galvão, maior sucesso dos Novos Baianos, e uma das mais tocadas do ano de 1972:

Leia também: Moraes Moreira leva multidão ao Parque Municipal durante Virada Cultural de BH

Comentários