28.9 C
Belo Horizonte
terça-feira, 16 agosto 2022
Portal Mais MinasNegóciosPrimeiro projeto de produção de GasBio (biometano) em Minas Gerais terá investimento inicial de R$ 30 milhões

Primeiro projeto de produção de GasBio (biometano) em Minas Gerais terá investimento inicial de R$ 30 milhões

Em Tupaciguara (MG), a planta de fabricação de açúcar e etanol vai agregar o sistema da ZEG Biogás para a produção de biometano por meio da vinhaça da cana-de-açúcar.

A ZEG Biogás acaba de firmar parceria para a construção de mais uma unidade de produção de GasBio, como é nomeado o biometano da empresa, com uso da vinhaça da cana-de-açúcar.  O projeto será desenvolvido na Usina da Bioenergética Aroeira, em Tupaciguara (MG), localizada a 50 km de Uberlândia, inicialmente com produção anual de 4 milhões de metros cúbicos de biometano e investimento de aproximadamente R$ 30 milhões. Nos próximos anos, a produção pode ser ampliada para até 16 milhões de metros cúbicos anuais, com investimento total de cerca de R$ 120 milhões. Há possibilidade de enquadramento do projeto no REIDI (Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento da Infraestrutura) por meio do programa federal Metano Zero, recém-lançado.

“Vamos implementar o primeiro projeto de biometano do estado de Minas Gerais. Com a nossa tecnologia modular, que permite o desenvolvimento por fases do potencial da usina, podemos crescer de modo estruturado, de acordo com o avanço do mercado local. No caso da usina da Aroeira, é possível expandir a produção em até quatro vezes”, explica Daniel Rossi, Conselheiro da ZEG Biogás.

A unidade de produção de GasBio deve começar a operar no 2º trimestre de 2024. A produção será utilizada parcialmente na frota de caminhões da própria Bioenergética Aroeira, em substituição ao diesel. O restante do volume será distribuído para as indústrias da região na forma de BioGNC (biometano comprimido). “Esse projeto carrega o conceito de economia circular, uma vez que utiliza resíduos da fabricação de etanol para produzir combustível verde para a frota da própria usina e de outros clientes da região”, explica Gabriel Feres, CEO da Bioenergética Aroeira.

Apenas em sua primeira fase, o projeto reduzirá as emissões de CO2 na atmosfera em até 10 mil toneladas anuais, equivalente ao plantio de 1 milhão de árvores nos próximos 15 anos.

A primeira quinzena de julho foi especial para a ZEG Biogás. No início do mês, a Vibra assinou contrato para aquisição de 50% do capital social da companhia. Os demais 50% permanecerão de propriedade da ZEG e da FSL. O negócio vai potencializar o alcance da ZEG Biogás, que produz biocombustível com alto padrão de qualidade capaz de substituir os combustíveis fósseis, tais como gás natural, diesel e GLP, em indústrias e veículos, principalmente frotas pesadas. “Iniciamos uma nova fase em que, além da expertise técnica e comercial já presentes, agregamos capacidade de distribuição e financeira à empresa. Com isso reunimos os requisitos necessários para acelerar muito nossa capacidade de produção e comercialização nos próximos anos”, segundo Daniel Rossi.

Sobre a ZEG Biogás

A ZEG Biogás tropicalizou equipamentos já consolidados no mundo e desenvolveu tecnologias exclusivas de produção e distribuição de biogás e biometano, que permitem a eficiência de custos e escalabilidade de seus empreendimentos. Esse know-how em diversos segmentos da cadeia a credencia a oferecer uma solução completa aos seus parceiros, desde a produção da molécula até o fornecimento ao mercado.

Trabalhando em favor do crescimento sustentável, com o propósito de alcançar a transição energética para uma economia de baixo carbono, a ZEG Biogás é uma empresa alinhada com as práticas da agenda ESG (Meio ambiente, Sociedade e Governança), oferecendo soluções integradas que buscam promover descarbonização, digitalização, descentralização e democratização de recursos.

Fonte: SP4 Comunicação

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: