O que você procura?


Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item

Celso Cota tem candidatura a prefeito de Mariana impugnada e recorre em instância superior

Rodolpho Bohrer 27 de outubro de 2020 às 18:23
Tempo de leitura
3 min
Imagem: TSE/Reprodução
Imagem: TSE/Reprodução

O ex-prefeito de Mariana Celso Cota obteve uma derrota na Justiça Eleitoral municipal na última segunda-feira (26), após a Juíza da 171ª Zona Eleitoral  indeferir o pedido de registro de sua candidatura à Prefeitura de Mariana.

A ação de impugnação da candidatura de Cota foi impetrada na Justiça pela Coligação Participação e Confiança, pelo Partido Democrático Trabalhista – PDT e pelo Ministério Público Eleitoral.

De acordo com a sentença,  o ex-prefeito de Mariana foi condenado em ação de improbidade administrativa, ficando com suspensão dos direitos políticos por sete anos, de 9 de novembro de 2009 a 2 de junho de 2010 e de 2 de junho de 2015 a 9 de novembro de 2021 – o que gerou, também, a suspensão da sua inscrição eleitoral pelo mesmo período.


Em 2015, Cota foi destituído da chefia do executivo pela Câmara Municipal de Mariana, seguindo o despacho do promotor de justiça Guilherme de Sá Meneghin, que cobrava a execução da sentença judicial de 2008, que condenou Celso Cota, em primeira instância, a ressarcir R$ 80 mil ao erário, além de multa de R$ 160 mil e a suspensão dos direitos políticos por sete anos, considerando que o político fez promoção pessoal com recursos do município. Ele foi eleito prefeito de Mariana em 2012, ainda com os direitos políticos cassados pela justiça. Na ocasião, o seu vice Duarte Jr. assumiu a administração municipal, sendo reeleito em seguida.

Após uma atualização nesta terça-feira (27) do sistema de divulgação de candidaturas e contas eleitorais do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a candidatura de Celso Cota aparece como “impugnada com recurso”. Essa situação é mostrada quando o candidato tem uma impugnação em primeira instância, mas recorreu na segunda. Agora, a decisão da candidatura é do Tribunal Regional Eleitoral – TRE-MG que, se não julgar o recurso até o dia da eleição, permite que o nome e foto de Cota estejam nas urnas e esteja apto a ser votado.

Em nota enviada aos veículos de imprensa, a defesa de Celso Cota informa “Em que pese o indeferimento do pedido de registro de candidatura de Celso, a decisão é recorrível, uma vez que é claro o cumprimento da suspensão dos direitos políticos de 7 anos, conforme apurou e confirmou em liminar deferida neste sábado o ilustre juiz do TRE-MG (decisão essa revogada posteriormente por outro juiz)”.

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.

Última atualização em 27 de outubro de 2020 às 18:24