O que você procura?


Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item

Distritos de Mariana receberão cloro na água distribuída para população

Carla Cruz 7 de novembro de 2019 às 15:00
Tempo de leitura
2 min

A partir do dia 18 de novembro, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) passará a promover o cloração (desinfecção) da água distribuída à população nos distritos e subdistritos de Águas Claras, Bandeirantes, Barro Branco, Barroca, Cachoeira do Brumado, Camargos, Cláudio Manoel, Furquim, Mainart e Monsenhor Horta.

O objetivo da desinfecção é assegurar a água não tenha micro-organismos e prevenir o seu crescimento ao longo das redes de distribuição. Esta ação resulta em grandes benefícios à saúde da comunidade, minimizando o risco de transmissão de doenças.

Ministério da Saúde

Segundo o Ministério da Saúde, toda água fornecida coletivamente para consumo humano deve passar por processo de desinfecção ou cloração, devendo a concentração de cloro na água estar entre 0,2 e 2 partes por milhão (ppm).


O cloro é o produto mais indicado para o processo de desinfecção da água, por não ser tóxico ao ser humano e não conferir odor ou sabor às águas, nas dosagens usualmente empregadas.

Diferenças no aspecto da água causadas pelo cloro

Embora seja uma concentração baixa, pessoas que não têm o costume de beber água com cloro podem, eventualmente, estranhar o gosto da água clorada. Durante o banho, também, o vapor aumenta a concentração de cloro que sai da torneira, podendo causar alergia em pessoas de pele sensível.

No entanto, mesmo a baixas concentrações, é tóxico aos peixes, provocando a morte por asfixia em poucos minutos. Deste modo, alertamos que o uso da água da torneira não poderá ser feita em aquários ou poços de peixe.

Leia mais: Estudo comprova contaminação em poeira e solo de Mariana, mas dados são escondidos da população, diz Agência

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.

Última atualização em 9 de setembro de 2021 às 19:31