19.5 C
Belo Horizonte
terça-feira, 27 setembro 2022
Portal Mais MinasMariana (MG)Formação de Lideranças Jovens repassa mais R$ 1 milhão para ações na bacia do rio Doce

Formação de Lideranças Jovens repassa mais R$ 1 milhão para ações na bacia do rio Doce

O programa de Formação de Lideranças Jovens da Fundação Renova iniciou o repasse de recursos para 45 projetos mineiros selecionados atuarem na revitalização ambiental, social e econômica de comunidades ao longo da bacia do rio Doce. No total, a iniciativa está destinando mais de R$ 1 milhão em recursos para o desenvolvimento das ações de 58 projetos em Minas Gerais e no Espírito Santo. Em Mariana e região, sete iniciativas de 11 jovens foram selecionadas.

O objetivo do projeto é promover a transformação e o engajamento de cerca de mil jovens participantes, entre 15 e 29 anos, no processo de reparação, por meio do desenvolvimento de ações e projetos em 41 municípios atingidos pelo rompimento da barragem de Fundão (MG).  Ao mesmo tempo, contribui-se para o fortalecimento de uma rede de atores e ações que trabalham com o protagonismo juvenil, fomentando práticas de educação em rede para a revitalização local e regional dos territórios.

A ação faz parte do Agenda Juventudes e é conduzida com o apoio de cinco instituições parceiras, divididas entre cinco regiões de atuação da Fundação Renova.

Etapas

Cinco instituições foram selecionadas em 2019, por meio de edital, pela Fundação Renova. Cada uma delas elaborou um projeto para atuação, respeitando os objetivos de mobilizar e engajar jovens no processo de revitalização do rio Doce.

No início de 2020, a Fundação Renova anunciou a Agenda Juventudes, que englobaria as ações voltadas para a juventude na bacia do rio Doce. O projeto de Formação de Lideranças Jovens é a espinha dorsal da Agenda.

No primeiro semestre de 2021, aconteceram os cursos formativos para os inscritos, realizados no formato on-line, devido às restrições sanitárias do cenário da Covid-19. O curso começou com um conteúdo comum para as cinco áreas, incluindo aspectos históricos, socioeconômicos e socioambientais relacionados à bacia do rio Doce.

Após essa etapa comum, cada instituição trabalhou com metodologia conceitual própria, proposta no plano de trabalho inicial apresentado e aprovado no edital. A elaboração dos projetos e submissão à aprovação para receber os recursos foi realizada nessa fase.

Mariana e região

Em Minas Gerais, foram elaborados 45 projetos. Na região do Alto Rio Doce que compreende os municípios de Mariana, Barra Longa, Rio Doce e Santa Cruz do Escalvado, foram sete projetos que envolveram 11 jovens. Ao todo, aproximadamente R$ 125 mil serão investidos nos sete projetos elaborados.

Um dos destaques é o projeto Mata Ciliar da Vila Cafundão, de Mariana, que visa promover a recuperação da mata ciliar do rio Brumado nos limites da comunidade, despertando o compromisso ambiental para o respeito e equilíbrio do meio ambiente. Desenvolvido por três jovens, a ação tem valor estimado de cerca de R$ 11 mil.

Já em Barra Longa, dois jovens elaboraram o projeto Tuim da Barra, que visa realizar ações de educação ambiental, que promovam a conscientização para a preservação e cuidado com o meio ambiente e que ao mesmo tempo, proporcionem possibilidades do retorno de pássaros Tuins ao território do munícipio. O projeto tem valor estimado de quase R$ 16 mil.

Confira a lista completa dos projetos capixabas clicando aqui.

Sobre a Fundação Renova

A Fundação Renova é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, constituída com o exclusivo propósito de gerir e executar os programas e ações de reparação e compensação dos danos causados pelo rompimento da barragem de Fundão.

A Fundação foi instituída por meio de um Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta (TTAC), assinado entre Samarco, suas acionistas Vale e BHP, os governos federal e dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, além de uma série de autarquias, fundações e institutos (como Ibama, Instituto Chico Mendes, Agência Nacional de Águas, Instituto Estadual de Florestas, Funai, Secretarias de Meio Ambiente, dentre outros), em março de 2016.

Fonte: Flávia Rodrigues | Assessoria de Imprensa | Fundação Renova

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: