O que você procura?


Vereador de Mariana é conduzido à Delegacia por destacato

Segundo o Boletim de Ocorrência, o vereador Tikim Mateus proferiu palavrões e descumpriu ordens da Guarda Municipal e foi encaminhado à Delegacia de Polícia.

Rômulo Soares 8 de setembro de 2021 às 16:11
Tempo de leitura
3 min
Foto: Facebook/Câmara de Mariana
Foto: Facebook/Câmara de Mariana

Na manhã do último domingo, 5 de setembro, por volta das 8h30, o vereador Gilberto Mateus Pereira (Cidadania), também conhecido como Tikim Mateus, foi conduzido à Delegacia de Ouro Preto por desacato à autoridade durante o aniversário da Associação de Ciclismo de Mariana (ACM) na entrada da Arena Mariana. O vereador tem mandato na Casa Legislativa de Mariana.

Conforme consta no Boletim de Ocorrência, a Guarda Municipal estava em operação de apoio à corrida de aniversário da ACM, quando o veículo do vereador teria furado o bloqueio feito pelo órgão de segurança. Autora do B.O, a guarda Ana Paula Lamego Balbino, conta que Tikim Mateus passou à sua frente com o carro e, na sequência, deu ré para questioná-la o motivo de ter sido chamado de “idiota” pela agente. Ela nega ter feito tal ato.

Ana conta que a partir desse momento, percebeu que o condutor do veículo era Tikim Mateus e o perguntou se não havia notado o bloqueio e a prova (corrida dos ciclistas). Ela conta que o vereador a respondeu com voz alterada e um comportamento agressivo, dizendo “Que prova? Não estou nem aí para prova. Passo mesmo. Vai se fuder”. Segundo a guarda, depois disso, ele arrancou e acelerou o carro “de forma agressiva”, chegando a ser percebido por pessoas que estavam no local.

No entanto, Ana conta que, na sequência, ela o abordou na viatura e deu ordem de parada, mas o vereador respondeu “Ah tá, vou parar”, em tom irônico, arrancando o carro novamente. A guarda relata que mais à frente, a passagem de Tikim Mateus foi bloqueada novamente por ela, com o apoio de outra viatura.

Com o carro parado, Ana Paula disse que o vereador começou a falar que ela tinha inveja dele, que se tratava de uma perseguição política, que ela já havia multado Tikim no bairro Cabanas em outra oportunidade, que era um ato para a guarda “aparecer”, mas admitiu que falou o palavrão e, portanto, foi lhe dado Voz de Prisão.

A Guarda Municipal continuou relatando que durante os procedimentos de registro da ocorrência, no Comando da Guarda Municipal, por várias vezes, o vereador proferiu ameaças como que “isso não vai ficar assim” e se portou de “maneira opressora”, a encarando várias vezes. Tikim Mateus foi conduzido à Delegacia de Ouro Preto e entregue à Autoridade Policial.

“Sinceramente, eu tento trabalhar da melhor forma que a Lei me permite, tratando bem as pessoas, sorrindo, tentando ser agradável para levar bem o meu dia. Não posso deixar que a repercussão do fato de ter sido xingada por um vereador e ter lhe dado voz de prisão, abale minha conduta profissional”, disse Ana Paula.

Por outro lado, Tikim Mateus preferiu não dar a sua versão da história, mas disse que “perante o juiz vamos saber quem estava certo e quem estava errado”. Apesar disso, para o vereador, o acontecido se trata de um caso encerrado. “Já deu, passou. Não foi desacato, foi um mal entendido. Acabou”, finalizou o vereador.

Última atualização em 8 de setembro de 2021 às 16:36