12.4 C
Belo Horizonte
segunda-feira, 27 junho 2022
Portal Mais MinasOuro PretoBriga entre vereadores de Ouro Preto termina em B.O na polícia

Briga entre vereadores de Ouro Preto termina em B.O na polícia

Durante a 84ª reunião ordinária da Câmara de Ouro Preto, ocorrida na noite dessa terça-feira, 7 de dezembro, os ânimos se exaltaram entre dois vereadores, Júlio Gori (PSC) e Vander Leitoa (Solidariedade), e a Polícia Militar (PMMG) foi acionada por um dos membros do legislativo para registro de Boletim de Ocorrência.

A briga começou quando Júlio Gori, durante a sua fala de orador, proferiu algumas indiretas a Vander Leitoa, citando os problemas que o vereador do Solidariedade tem com a Secretaria de Saúde.

“Eu moro com a minha avó tem 40 anos, todos os meus vizinhos são idosos, eu nunca maltratei nenhum. Eu nunca fiz nada contra uma mulher, eu não tenho boletim de ocorrência, eu nunca agredi, nunca agarrei alguém pelos cabelos, dei saculejo. Respeito é para quem se dá. Eu não posto pornografia em grupos de WhatsApp, eu não faço chacota com senhoras, nunca recebi nota de repúdio. Às vezes, pode vir alguma agora para frente, mas nunca recebi. Elas (secretária e adjunta da Saúde) estão passando um aperto danado aqui, não está fácil a saúde daqui de Ouro Preto, mas eu nunca humilhei elas. Então, eu tenho o meu jeito, tem gente que fala que temos que sair de casa para matar um leão, errado, eu não penso assim. Eu sou o leão e quem vai ter que me matar e pisotear vai ter que lutar muito, porque eu não vou desistir. Eu fui eleito com 497 votos, não comprei voto na casa de ninguém, não prometi emprego, não tenho rabo preso com ninguém. Então, o chicote aqui estala e o cowboy para aguentar o pulo tem que ser bruto”, disse Júlio Gori.

LEIA TAMBÉM:  Sistema de votação continua “íntegro e seguro”, diz relatório do TSE

Em seguida, Vander Leitoa pegou o microfone e respondeu Júlio, em meio a gritos do público presente na reunião. Gori foi acusado de apontar o dedo no rosto de “um idoso”, no caso, do prefeito de Ouro Preto, Angelo Oswaldo (PV), de 74 anos.

“Não quer que eu fale não vereador? A fala está comigo, você fica na sua aí. Eu não tenho rabo preso com ninguém, não tenho problema com ninguém. Estou aqui para cobrar o que o povo me passa, tenho o meu jeito de cobrar, mas eu respeito todo mundo. Por isso, tenho o respeito da população. Eu nunca coloquei um dedo na cara de uma pessoa idosa, eu nunca fiz isso, porque isso é um ato de covardia. Não fica jogando piadinha para mim não, porque aqui não. O senhor tenta a sorte, porque o azar é seu.”

Júlio retrucou: “Não, meu amigo. O azar é meu? Você está me ameaçando?” E após muita confusão, incluindo de gritos do público, Vander Leitoa finalizou a sua fala, em resposta às indiretas de Gori.

“Tenta a sorte, o senhor não põe medo em cima de mim não, aqui não, aqui é homem, põe o dedo na minha cara como você fez com o prefeito. Põe o dedo na minha cara. Um cara que faz isso é covarde e eu não tenho medo de você não. Eu também não tenho medo de memes não, de figurinhas, quem quiser fazer, pode tirar foto e fazer o que quiser. Agora, honestidade, a gente nasce com ela, não conquista. Não tenho rabo preso com ninguém e estou aqui para o que der e vier. Quem me colocou aqui foi o povo e não vou me calar nunca, nem com indiretas, pode fazer o que quiser. Estou firme aqui, não sou filho de pai assustado, não tenho medo, pode vim quem quiser, fazer B.O, o que quiser”, finalizou Vander Leitoa.

LEIA TAMBÉM:  Show de Biquini Cavadão em Ouro Preto será dia 11 de junho

Veja os vídeos da confusão:

Vídeo: Reprodução / CMOP
Vídeo: Reprodução / CMOP

Ao final da reunião, Júlio chamou a polícia e registrou o B.O contra Vander Leitoa, com a justificativa de que foi ameaçado pelo seu companheiro de Câmara Municipal. O Mais Minas teve acesso à ocorrência, que consta que Gori alegou ter sido insultado e ameaçado, veja:

Acionada pelo Copom, a guarnição policial compareceu à Câmara Municipal de Ouro Preto, oportunidade na qual foi realizado contato pessoal com o parlamentar municipal, senhor Júlio César Ribeiro Gori, que passou a relatar que vem constantemente tendo embates políticos com outro vereador, senhor Vander Leitoa, do partido solidariedade. A vítima informou, que nesta data, quando participava de uma reunião naquela casa legislativa, ao fazer uso da tribuna e proceder com o seu discurso político na defesa de algumas pautas, o autor, Vander Leitoa, passou a proferir ameaças contra o ofendido com os seguintes dizeres: “Não vai intimidar, o senhor tenta a sorte, porque o azar já é seu”. Informa ainda que se sentiu ameaçado com a fala do colega parlamentar. Em continuidade, o ofendido ainda relatou que o vereador Vander Leitoa, vem proferindo constantes insultos, bem como denegrindo a imagem da vítima, além de instruir os seus próprios assessores políticos a também usar as redes sociais para denegrir a imagem da vítima. Insta salientar, que o ofendido não possuía a qualificação completa do autor, sabendo apenas que se trata do vereador Vander Leitoa do Distrito de Antônio Pereira, eleito pelo partido Solidariedade e, como o autor não se fazia mais presente no local, não foi possível a sua qualificação pela guarnição policial. Registra-se o fato.

LEIA TAMBÉM:  Elba Ramalho e Ferrugem se apresentam em Ouro Preto nos dias 8 e 9 de julho

Em contato com o MM, Júlio disse que o vereador adversário tem várias ocorrências policiais a seu desfavor e, após criticar o prefeito, as obras da cidade e apresentar uma Representação para melhorias para Antônio Pereira (distrito onde Vander Leitoa mora), iniciou-se o embate entre os dois vereadores. “Tenho sido atacado por ele. Ele diz q tenho q ter respeito com prefeito, mas não tem com ninguém principalmente com as mulheres, secretárias de saúde, constantemente humilha elas no plenário”, disse Gori.

Júlio Gori também disse que fará uma Representação na Polícia Civil contra Vander Leitoa por ter sofrido ameaças. “Um Boletim de Ocorrência sem a Representação, é apenas um boletim. Irei até os fins legais”, disse o vereador do PSC.

Em contato com o MM, Vander Leitoa disse que a discussão foi apenas um embate político e que não houve ameaça.

“Ele que levou para outro lado. Foi uma discussão política e não teve nada de ameaça, só usei um ditado popular, falei que ‘tenta a sorte, o azar é seu’. Não teve nada a mais do que isso. O embate é por ele ofender o prefeito, chamando ele de esclerosado, dizendo que ele não está com a cabeça boa. A gente tem os embates políticos, mas a gente não pode ofender as pessoas, falar de política é uma coisa, falar de vida particular é outra. Eu não concordo com ele fazer isso, mas não tem nada a ver com as ações dele em Antônio Pereira, até porque nós somos vereadores do município, Antônio Pereira pertence a Ouro Preto. Então, não tem nada a ver”, esclareceu Leitoa.

LEIA TAMBÉM:  São Bartolomeu, distrito de Ouro Preto, é sede de mais um evento cultural

Vander disse que foi embora logo após o término da reunião, pois já era tarde e Antônio Pereira, onde ele reside, é longe da sede. Porém, se mostrou à disposição para prestar qualquer esclarecimento. Quanto à alegação de ocorrências anteriores contra Leitoa, o vereador disse: “Boletim de quê? Eu nem sei. Boletim de ocorrência qualquer um pode fazer, mas eu quero ver é provar. Eu não tenho processo”.

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: