19.8 C
Belo Horizonte
sexta-feira, 12 agosto 2022
Portal Mais MinasOuro PretoCasas históricas de Ouro Preto serão restauradas através do Projeto BomSerá

Casas históricas de Ouro Preto serão restauradas através do Projeto BomSerá

Ouro Preto (MG) possui um dos mais importantes conjuntos arquitetônicos do país. Para preservar as características históricas e culturais das habitações, mantendo também a segurança dos moradores, o IA – Instituto de Arte Contemporânea de Ouro Preto, com apoio do Escritório Técnico do IPHAN em Ouro Preto e IFMG – Instituto Federal de Minas Gerais, deu início ao Projeto BomSerá. Inicialmente serão realizados restauros em 3 casas dos séculos XVIII e XIX, de propriedade de famílias de baixa renda. O projeto também realiza ações educativas, que acontecem em paralelo às oficinas de restauro, todas voltadas para a comunidade, professores e alunos do ensino médio de Ouro Preto e região.

As obras tiveram início em 27 de junho e os interessados podem se inscrever nas oficinas até dia 01 de agosto. O objetivo é restaurar essas casas e capacitar os moradores das edificações que receberão as intervenções, para que possam eles mesmos realizar a manutenção preventiva de suas casas, educando e sensibilizando. Além disso, o projeto contribui para formar mão de obra qualificada para futuramente poder atuar em obras de restauração.

As oficinas contam com aporte pedagógico de carpinteiros, pedreiros, pintores e instaladores que atuam na área dos ofícios tradicionais, além de tecnólogos, pesquisadores e professores – os dois últimos, por meio de parceria firmada com o curso de Conservação e Restauração de Bens Imóveis do IFMG – Campus Ouro Preto, direcionadas a discentes da instituição, profissionais da construção civil em busca de qualificação e interessados. 

O programa conta ainda com apoio técnico e legislativo do escritório do IPHAN, em Ouro Preto. Aliado ao valor cultural das casas, o BomSerá amplia osenso de cidadania das famílias participantes, reforçando o sentido de lar a suas casas, através de reformas e promovendo sensibilização sobre preservação e os aspectos históricos da cidade. É um projeto proposto para colaborar com a preservação de imóveis tombados, numa ação que reforça autonomia e pertencimento da comunidade sobre seu próprio patrimônio.

O nome do projeto faz referência a um dos conjuntos que fazem parte das obras emergenciais integrantes do levantamento do IFMG – Instituto Federal de Minas Gerais. Bom-será ou Bomserá é uma construção típica do século XVIII, presente nas cidades históricas que fizeram parte do Ciclo do Ouro, em Minas Gerais (Ouro Preto, Mariana, Sabará e Caeté). Trata-se de edificações de grande valor histórico, cuja principal característica é o uso de “parede-e-meia”. Essas construções foram edificadas encostadas, umas nas outras, a partir de uma única estrutura, divididas em várias residências. Diz a tradição, que nesses conjuntos, onde uma edificação sustentava a outra, famílias viviam misturadas. Que do desejo de uma convivência harmoniosa surgiu a saudação Bomserá.

“BOMSERÁ” tem apoio do Ministério do Turismo, Instituto Cultural Vale e o IA – Instituto de Arte Contemporânea de Ouro Preto como gestor. Foram investidos R$1.400.000,00 neste Projeto que tem duração prevista para seis meses.

Ações Educativas do Projeto BomSerá:

Para a comunidade escolar – serão oferecidas duas edições da “Oficina de formação em linguagens”, que têm como objetivo abordar conhecimentos relacionados à cultura, à preservação e à memória em contato com as oficinas de restauro. Elas são totalmente gratuitas e serão selecionados 30 candidatos para cada edição. A primeira edição é dirigida a estudantes do ensino médio, onde os participantes selecionados terão acesso a uma bolsa de estudos e a segunda edição é voltada para professores de escolas públicas e privadas, de Ouro Preto e região.

Para os moradores da cidade – ao longo do desenvolvimento das oficinas de restauro serão organizadas conversas, dinâmicas e visitas mediadas às obras, promovendo o diálogo com o patrimônio histórico e cultural, material e imaterial.

Em transformação constante

O BomSerá chega para solucionar um grave problema da cidade. Com aproximadamente 80 mil moradores, Ouro Preto possui uma vida social comum a qualquer centro urbano contemporâneo, potencializados por pontos de intercessão complexos: aqueles onde se tocam passado e presente, o barroco e o contemporâneo, a tradição e o progresso, trespassados pela necessidade de preservação das características originais dos casarios e a dificuldade de manutenção e conservação, sobretudo para os moradores de baixa-renda.

Neste cenário, por um lado há a necessidade constante de resguardar as características arquitetônicas e históricas de suas casas, para que, no âmbito subjetivo, sejam capazes de assegurar o bem-estar social de suas famílias e, objetivamente, possam contribuir com a manutenção do título de Patrimônio Cultural da Humanidade e, em consequência, o bem-comum da cidade. Por outro, os custos para restaurar e preservar os componentes culturais desses imóveis são extremamente elevados, dada as especificações necessárias.

Sobre o IA – Instituto de Arte Contemporânea de Ouro Preto

O IA – Instituto de Arte Contemporânea de Ouro Preto tem por sua natureza fomentar o encontro e intercâmbio entre a população de Ouro Preto, artistas e artesãos locais e agentes do campo da arte de outras regiões. O embate entre tradição (representada pelo esplendor barroco da cidade patrimônio cultural da humanidade) e a contemporaneidade (com foco no caráter efêmero da arte contemporânea) constitui a essência do IA, a partir de quatro pilares principais: a troca entre diferentes atores sociais, o diálogo entre linguagens artísticas distintas e entre o passado, o presente e o futuro, a desconstrução do status quo que subjuga a arte ao mercado e a tendências regidas pelo mercado e a descolonização, como forma de se criar e produzir arte contemporânea, a partir da reverência, reconhecimento e legitimação de epistemis e práticas culturais, sociais e políticas da América Latina e do Brasil, especificamente.  

Fonte: Doizum Comunicações

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: