O que você procura?


Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item

Defesa Civil de Ouro Preto faz vistoria nas obras da Vale na Barragem Doutor, em Antônio Pereira

O objetivo da vistoria foi avaliar as causas e consequências dos danos ocorridos na estrutura da obra do vertedouro que levou à sua interdição.

Rômulo Soares 22 de novembro de 2021 às 14:43
Tempo de leitura
4 min
Foto: Defesa Civil de Ouro Preto
Foto: Defesa Civil de Ouro Preto

A Defesa Civil de Ouro Preto realizou a segunda vistoria na obra do vertedouro da Barragem Doutor, localizada no distrito de Antônio Pereira, na última quarta-feira, 17 de novembro. De acordo com o órgão, a ação foi feita de forma conjunta com os representantes dos moradores atingidos e também do Ministério Público, que foi acompanhado pela empresa consultora externa independente (SLR).

O objetivo da vistoria foi avaliar as causas e consequências dos danos ocorridos na estrutura da obra do vertedouro que levou à sua interdição. Essa obra é a primeira etapa do processo de descaracterização da Barragem Doutor. A primeira vistoria da Defesa Civil de Ouro Preto na obra ocorreu no dia 21 de outubro, sem agendamento prévio, e com o objetivo de avaliar, principalmente, se os danos ocorridos em sua estrutura pelas chuvas intensas trariam algum incremento de risco à estabilidade do dique principal da Barragem Doutor.

Durante a primeira vistoria, a Vale S.A, proprietária da barragem, informou à equipe técnica da Defesa Civil de Ouro Preto que os danos ocasionados na estrutura do vertedouro não tinham relação direta com a estabilidade do dique principal da barragem, fato que, de acordo com a empresa, não provocaria o retorno da estrutura ao Nível II de segurança.


“A vistoria conjunta realizada na última quarta-feira foi de grande importância para esclarecer as dúvidas dos representantes dos moradores atingidos e também para ouvir os técnicos da SLR (empresa canadense responsável pela auditoria independente da Barragem Doutor) quanto às informações que a Vale reportou sobre os danos na estrutura do vertedouro”, disse a Defesa Civil de Ouro Preto, através de comunicado.

O diretor administrativo e gerente de engenharia de resíduos de mina da SLR, David Ritchie, esclareceu à Defesa Civil, que os danos ao vertedouro não afetam diretamente a estabilidade do dique principal da Barragem Doutor e que esses danos causados se devem, provavelmente, às características geológicas do terreno. A equipe de Geotecnia da Vale informou também que, neste momento, o vertedouro será fechado por uma soleira de pedras e argila com uma altura que permita a água passar por cima, em caso de chuva extrema. Isso é para impedir que o lago da barragem se eleve aos níveis anteriores ao rebaixamento para não provocar aumento de risco na estrutura do dique principal da barragem.

Foi informado ainda, pela Vale à Defesa Civil de Ouro Preto, que o conjunto de motobombas instalado na barragem continuará em funcionamento para garantir que o nível de água permaneça rebaixado no reservatório até que a recuperação completa dos danos estruturais causados ao vertedouro seja executada após o período chuvoso.

A Defesa Civil de Ouro Preto ressaltou, em comunicado, que não é o órgão técnico que audita ou acompanha projetos de engenharia em barragens. Assim, a Defesa Civil depende das informações repassadas pela Vale, através da sua equipe de Geotecnia, da auditora interna da empresa, da Agência Nacional de Mineração (ANM) e da SLR.

Dessa forma, durante a vistoria, a Defesa Civil de Ouro Preto solicitou que todas as informações repassadas em campo, tanto pela Vale quanto pelos técnicos da empresa SLR, fossem oficializadas e protocoladas na Defesa Civil para a devida tomada das providências de segurança cabíveis.

“A Defesa Civil de Ouro Preto continuará acompanhando, de perto, a evolução dos trabalhos a serem executados pela empresa Vale, buscando identificar as causas dos danos estruturais na obra do vertedouro. Continuaremos também cobrando da empresa Vale quais serão as medidas corretivas e preventivas a serem executadas para solucionar definitivamente os danos ocorridos na estrutura do vertedouro e as ações necessárias para que incidentes semelhantes não venham mais a se repetir”, finalizou o comunicado da Defesa Civil municipal.

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.