O que você procura?

Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item

São Bartolomeu, distrito de Ouro Preto, perde eleição de melhores vilas turísticas do mundo

Mesmo sem o selo, São Bartolomeu ainda deve receber alguns investimentos para infraestrutura local.
Rômulo Soares 3 de dezembro de 2021 às 21:52
Tempo de leitura
3 min
Foto: Facebook / PMOP
Foto: Facebook / PMOP

São Bartolomeu, distrito de Ouro Preto, não conseguiu o selo de “Melhores Vilas Turísticas do Mundo”, concedido pela Organização Mundial do Turismo (OMT), agência especializada da Organização das Nações Unidas (ONU). Durante a 24ª Assembleia Geral em Madri, na Espanha, nessa quinta-feira, 2 de dezembro, os distritos de Alberto Moreira, de Barretos (SP), e a vila Enxaimel, de Pomerode (SC), se classificaram para a decisão da competição.

Mesmo que o selo não veio, o presidente da Associação Comunitária de Desenvolvimento Social de São Bartolomeu, Sérgio Murilo de Oliveira, conta que a população de São Bartolomeu ficou bastante feliz com a indicação, que colocou o distrito como o terceiro melhor vilarejo turístico do mundo.

“Nós ficamos muito felizes. A gente foi indicado, é sinal que estamos cuidando bem do nosso vilarejo e mesmo com turista vamos continuar dessa forma. Tomara que o turista venha mesmo, mas que ache aqui com infraestrutura, com tudo organizado. Que o turista venha para conhecer e não modificar ou destruir. Vamos crescendo devagar”, conta Sérgio Murilo.


Quando surgiu a notícia da indicação, São Bartolomeu foi tão procurado por turistas que a própria vila não estava conseguindo atender toda a demanda. Porém, segundo Sérgio, com o tempo de chuva que se iniciou nas últimas semanas, o movimento diminuiu. A população do distrito esperava que, ganhando o concurso, o assédio com o vilarejo voltasse, mas, mesmo assim, Sérgio ainda crê que, com investimento, o local ainda pode continuar sendo bastante reconhecido por quem visita Ouro Preto.

“A expectativa é boa, porque querendo ou não, São Bartolomeu foi divulgada em todas as mídias, falada e escrita, todo tipo de mídia divulgou. Nesses dois meses estávamos trabalhando, fazendo bastante ações com a prefeitura e secretarias para melhoria de várias coisas aqui. Algumas já aconteceram, então isso aí já foi bom”, diz Sérgio.

Mesmo sem o selo, São Bartolomeu ainda deve receber alguns investimentos para infraestrutura local. Nesta semana, a Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), junto do superintendente de trânsito, Jorge Kassis, foram até o distrito para realizar o mapeamento para mudar a circulação do trânsito, a fim de instalar placas indicativas e educativas no local. Essa é uma das ações que foram aceleradas a partir da indicação, colocando um olhar maio da prefeitura para o vilarejo.

“Nós acreditamos que os investimentos que poderiam vir através da OMT e do próprio Ministério do Turismo não vão chegar mais, porque a gente não venceu, mas o turista vem. Precisamos estar bem preparados para o atendimento do turista”, finaliza o presidente da associação do desenvolvimento social de São Bartolomeu.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.