A saída de Eduardo Coudet do Atlético foi bastante tumultuada e marcada por uma série de descontentamentos expressos pelo treinador. Em uma entrevista coletiva após a derrota para o Libertad na Libertadores, Coudet expressou sua insatisfação com a diretoria do clube, mencionando que a situação não era a que lhe foi prometida. Ele mencionou que o seu contrato estava em discussão e que havia experimentado uma situação incomum com cerveja sendo arremessada nele​.

O ex-treinador atleticano também mencionou que havia solicitado uma cláusula de saída em seu contrato há 15 dias ou mais, pois a situação havia mudado significativamente em relação ao que lhe havia sido prometido quando foi contratado. Ele expressou sua preocupação com o clima no clube e com o número de jogos a serem jogados​.

O treinador argentino chegou a expressar sua preocupação com o tamanho do elenco, mencionando que estava tentando trazer quatro jogadores gratuitamente e que havia pedido aos investidores que trouxessem um volante. Coudet sugeriu que seria difícil competir em três competições com apenas 20 jogadores e questionou a decisão de permitir que alguns jogadores saíssem do clube, como Sasha e Ademir, reiterando que não veio ao Galo por dinheiro, mas pelo desafio, e expressou frustração com as mudanças que ocorreram desde que assumiu o cargo​.

Em coletiva, o técnico com passagem relâmpago pelo Atlético comentou um incidente em que um copo de cerveja foi arremessado nele, afirmando que era algo que ele nunca tinha experimentado antes, reiterando que seu time havia vencido 10 de seus últimos 15 jogos, expressando perplexidade com a reação do torcedor​​ e sua insatisfação com a forma como a torcida estava se comportando, afirmando que, embora gostasse do entusiasmo dos torcedores, havia um limite para o que poderia tolerar​​.

Por fim, Coudet falou sobre reforços que não chegaram ao clube, citando exemplos de jogadores que foram discutidos mas que acabaram não vindo, como Felipe do Atlético de Madrid e Gilberto do Benfica. Em vez disso, o clube trouxe Lemos e Rodrigo gratuitamente. Coudet sugeriu que o projeto havia mudado e que ele estava fazendo o possível para gerenciar a situação da melhor maneira possível​​.

Agora que o Atlético está sem técnico, listamos alguns nomes no mercado brasileiro e alguns internacionais que poderiam ser opções para assumir a equipe alvinegra. São eles:

  1. Renato Gaúcho: Atualmente no Grêmio, já esteve na pauta do Atlético, mas não tem unanimidade na diretoria alvinegra.
  2. Luiz Felipe Scolari (Felipão): Experiente técnico e atual diretor de Futebol do Athlético-PR. Teria que ser convencido a voltar à função de treinador, já que anunciou aposentadoria como treinador no ano passado.
  3. Tite: Ex-comandante da seleção brasileira, está sem clube. Apesar de uma passagem negativa pelo Atlético MG em 2005, ele afirmou ter um sentimento de ‘dívida’ com o clube.
  4. Rogério Ceni: Fez um bom trabalho no Fortaleza, mas não conseguiu repetir o sucesso no São Paulo nem no Cruzeiro.
  5. Roger Machado: Dirigiu o Atlético MG em 2017.
  6. Vitor Pereira: Técnico português com passagens recentes por Corinthians e Flamengo.
  7. Bruno Lage: Outro técnico português que dirigiu o Wolverhampton, da Inglaterra, até outubro de 2022.
  8. Francisco Arce: Técnico paraguaio de 42 anos que teve uma carreira de destaque como jogador no Palmeiras e Grêmio na década de 90 e início dos anos 2000​​.

COMENTÁRIOS
Share.

Perfil publicador de releases e guest posts, sem autoria própria. Consulte a fonte ao final das matérias/artigos.