Take a fresh look at your lifestyle.

ONG fundada por piloto de avião dá consultoria de graça para desempregado conseguir emprego

Atendimento inclui coach para buscar a carteira assinada. Essa ajuda garantiu à mineira Gabriela um novo emprego

Doze milhões, treze, dez, não importa o tamanho do número. Para o desempregado o que interessa mesmo é retornar ao mercado de trabalho.

Foi pensando neste drama que afeta milhões de brasileiro que o piloto da Azul Linhas Aéreas Sady Bordin fundou o Instituto Eu Consigo.

Criado há pouco menos de um ano, o Instituto nasceu para dar esperança e, principalmente, ferramentas para o desempregado voltar o mais rápido possível à rotina de trabalho. “Não é assistencialismo, muito pelo contrário. Estamos ajudando pessoas que no seu desespero para ter um salário no final do mês, às vezes, se submetem a trabalhos que não ocupam toda sua capacidade”. Isso, para Sady, vai causar, em curto espaço de tempo, “insatisfação no emprego, dificuldade de adaptação e, em casos mais graves, depressão”.

O Instituto faz um processo de avaliação com o Programa Adote um Desempregado, que oferece gratuitamente um coach que avalia as metas do profissional, pontos fortes, habilidades e, também, um treinamento para enfrentar processos seletivos e entrevistas.

“Ao passar pelo processo de coaching com o Edson Marcelino fiz uma autoanálise e pude rever minhas atitudes e como desenvolvê-las de forma adequada para alcançar meus propósitos. E foi uma experiência renovadora”, diz o jornalista Francis Henrique Trennepohl, de Florianópolis.

Hoje são dez coachings voluntários que fazem entre seis e oito sessões com o desempregado, realizadas pelo Skype, que, ao final, são transformadoras. A administradora de empresas Joziele Vieira, de Curitiba, relatou que “antes desses encontros, era uma candidata insegura e com medos” e após as entrevistas com a coach Tânia Klein disse que “enxerguei alguns dos meus erros e entendi que para conseguir se recolocar além de força de vontade, é importante buscar ter direção, planejamento, disciplina, segurança, posicionamento e ter ações para alcançar objetivos”.

“Este é apenas um dos trabalhos do Instituto – diz Sady – mas talvez seja um dos mais importantes porque resgata a autoestima daqueles que acham que na primeira, segunda, sexta porta fechada, ficam sem chão”.

E faz, também, viradas profissionais. Como no caso da mineira Gabriela Arcanjo, de 31 anos. Nutricionista por formação, desde setembro do ano passado estava sem colocação fixa, fazendo atendimentos clínicos. Um amigo do LinkedIn mostrou a ela uma informação do Instituto e entre fazer a solicitação e começar o atendimento com um coaching não levou mais que 15 dias. “Em apenas cinco sessões pude apurar meus pontos fortes e conseguir o emprego que buscava”, diz Gabriela que sempre quis trabalhar com representação de produtos. Agora ela foi contratada por uma multinacional e está responsável pelo negócio em todo o Norte de Minas Gerais. Ela conta que “sempre era barrada porque não tinha experiência, mas nas sessões com a Isadora Martins ela me ensinou a superar esse problema e foi fundamental no processo para conseguir o emprego”. Para conhecer o trabalho do Instituto Eu Consigo, acesse http://euconsigo.org.

Leia também: Curso on-line capacita cidadãos ao voto consciente