Para professores mineiros, diário escolar digital fracassou

Por

Em uma audiência pública promovida pela Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), na noite da última segunda-feira (12), professores de diversas partes de Minas Gerais levaram reclamações, sobretudo, sobre a tentativa de modernizar o trabalho nas escolas estaduais com o uso do Diário escolar Digital (DED).

Entre as reclamações, professores afirmaram que têm que comprar pacotes de dados e usar sua própria internet para acessar o DED e que, além disso, passam madrugadas acordados tentando lançar frequência e notas dos alunos, muitas vezes sem sucesso. Também reclamaram da falta de um sistema adequado e da falta de conectividade nas escolas. Ainda segundo os professores, frequentemente enfrentam lentidão e erros constantes na plataforma, sofrem pressões para cumprimento de prazos para a inserção de dados no sistema e temem perder o emprego, no caso dos designados.

A plataforma não funciona, fica fora do ar ou em manutenção constantemente, dá erro de acesso a todo momento. E o aplicativo para celular consegue ser pior ainda!”, disse, ao site da ALMG, Adriano José de Paula, professor da rede estadual em Ribeirão das Neves (RMBH).

O professor Marcos Rogério, de Ipatinga (Vale do Aço), que leciona filosofia e sociologia em 30 turmas diferentes, afirmou ao site da ALMG que tem que abrir um arquivo para cada aula, em cada turma, e preencher 30 diários. “Além de toda a lentidão, alguns dados simplesmente desaparecem, notas vêm somadas de maneira errada“, reclamou.

Ainda segundo os relatos dos professores, o diário digital, que foi implantado na rede estadual de ensino no ano de 2017, não funciona corretamente e ainda tem sido mais um fator de estresse e de adoecimento dos professores públicos. Isso porque, de acordo com eles, a burocracia e o tempo gasto com os problemas técnicos apresentados na plataforma estariam sobrecarregando os docentes.

Durante a sessão, a deputada Beatriz Cerqueira (PT), presidente da comissão, informou que está sendo produzido pela Casa um relatório para ser encaminhado à Secretaria de Estado da Educação (SEE) contendo as principais reclamações trazidas pelos professores sobre o diário escolar digital.

Secretaria de Educação trabalha para melhoria do sistema

A representante da Secretaria de Educação, Simone Emerick, coordenadora do Sistema Mineiro de Administração Escolar, não respondeu a todas as questões apresentadas durante a audiência. No entanto, afirmou que o diário digital é uma ferramenta em constante construção e ainda garantiu que a equipe da Prodemge, empresa responsável pelo desenvolvimento da plataforma, está trabalhando para oferecer um sistema melhor para os professores.

*Com informações da Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

Deixe seu comentário

Postado em 14 de agosto de 2019