Placas do Mercosul passarão a ser exigidas apenas para veículos novos

Por

Após três adiamentos e muita confusão a respeito de como seriam implantadas, as placas padrão Mercosul passaram a valer no Brasil neste ano. Mas antes mesmo da população passar a usar o novo modelo, uma mudança importante poderá ser decretada. Nos próximos dias o Governo Federal deverá decretar tais alterações nas regras da padronização.

A mais importante delas foi dada pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, em audiência com o deputado federal Heitor Schuch (PSB), na última quarta-feira (08), que informou do fim da obrigatoriedade da alteração das placas no processo de troca de propriedade do veículo. Portanto apenas veículos novos teriam de adotar o novo padrão.

Dentre as mudanças se destacam outras duas. A ampliação do número de fornecedores das placas e a utilização de um novo material, de qualidade superior. A justificativa para essas mudanças é a diminuição do custo do processo e aumento na segurança do sistema.

O deputado Heitor Schuch comemorou a possível mudança, mas se mostrou contrário ao novo emplacamento. “O ideal seria revogar essa medida que vem sido muito criticada em todo país, mas passar a valer apenas para os novos veículos já é um avanço. Vamos aguardar a resolução e cobrar a promessa do governo”, afirmou Schuch.

Novela

As novas placas, em padrão com as utilizadas pelos outros países do Mercosul, foram apresentadas em 2014 para o público. A expectativa era que estas passassem a ser utilizadas no ano de 2016, mas uma série de adiamentos acabou jogando a “estreia” do emplacamento padronizado para 2019.

Além das novas mudanças que estão à caminho, outras alterações nas placas já aconteceram anteriormente. No ano passado houve um adiamento para retirada dos brasões de municípios e bandeiras dos estados das placas Mercosul. O objetivo da mudança foi reduzir custos e manter outros importantes itens de segurança na nova placa.

O que muda nas placas

1- Mais letras e menos números

Em vez de 3 letras e 4 números, como é hoje, as novas placas terão 4 letras e 3 números, e poderão estar embaralhados, assim como na Europa;

2- Novas cores

A cor do fundo das placas será sempre branca. O que varia, é a cor da fonte. Para veículos de passeio, cor preta, para veículos comerciais, vermelha, carros oficiais, azul, em teste, verde, diplomáticos, dourado e de colecionadores, prateado;

3- Estado e cidade com nome e brasão

O nome do país estará na parte superior da patente, sobre uma barra azul. Nome da cidade e do estado estarão na lateral direita, acompanhados dos respectivos brasões;

4- Tamanho

A placa terá as mesmas medidas das já utilizadas no Brasil (40 cm de comprimento por 13 cm de largura);

5- Contra falsificações

Marcas d’água com o nome do país e do Mercosul estarão grafadas na diagonal ao longo das placas, com o objetivo de dificultar falsificações. No Brasil, a placa terá uma tira holográfica do lado esquerdo e um código bidimensional que conterá a identificação do fabricante, a data de fabricação e o número serial da placa. A tira é uma maneira de evitar falsificação.

6 – Preço e quem terá que trocar

O modelo será adotado primeiro para novos emplacamentos. Portanto, segundo o Denatran, o preço da nova placa será o mesmo das atuais.

Placas do Mercosul passarão a ser exigidas apenas para veículos novos

Novos modelos de placas – Crédito da arte: Karina Almeida e Claudia Peixoto/ G1

Tags :

Postado em 10 de maio de 2019