Polícia Civil constata que não houve negligência por parte da Prefeitura de Mariana em óbito relacionado ao COVID-19

Nesta quinta-feira, (16), a Polícia Civil de Mariana pediu o arquivamento da denúncia, feita pelo Ministério Público local, sobre uma possível negligência em relação ao primeiro óbito confirmado em decorrência do novo coronavírus no município. Segundo o delegado Cristiano Castelucci Arantes, que conduziu o caso, nenhuma evidência contra os procedimentos dos servidores do município foi constatada.

No decorrer do inquérito foram ouvidos cerca de oito médicos, o secretário de saúde de Mariana, Danilo Brito, a responsável pela Vigilância Epidemiológica do município, Nathercia Nobre, a secretária de Administração, Arlinda Gonçalves, dois diretores dos hospitais de saúde, nos quais o paciente procurou atendimento, e representantes do comitê de combate ao COVID-19 e da Prefeitura de Mariana.

O relatório escrito pela Polícia Civil e enviado ao juiz responsável deixa nítida a conduta correta do município. O prefeito de Mariana, Duarte Júnior, demonstrou confiança no resultado negativo da denúncia e ressaltou o compromisso da administração pública em atender a população com seriedade. “Ficamos felizes com esse arquivamento, porque mostra que estamos no caminho certo. Além disso, mostra que os nossos profissionais, que foram prejudicados com esta denúncia, são competentes e seguem todos os procedimentos do Ministério da Saúde e da Secretaria Estadual de Saúde. Estou muito satisfeito com o meu corpo técnico”.

Segundo o delegado Cristiano Castelucci Arantes, o momento pede os marianenses voltem seu olhar para a ética dos profissionais de saúde que estão enfrentando a pandemia. “Precisamos homenageá-los, reconhecer a dedicação, coragem e compromisso. Nessa luta contra o novo coronavírus é destes servidores da saúde, verdadeiros heróis, que a sociedade precisa”.

Comentários